A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: Cadastro em aplicativo do SUS é recomendado, mas não é obrigatório para a vacinação

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
12.jan.2021 | 17h00 |

Circula pelo WhatsApp que todos os brasileiros precisam se cadastrar no aplicativo Conecte SUS para receber a vacina contra o novo coronavírus — caso contrário, não serão imunizados. Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:

“Pessoal, todo mundo precisa se cadastrar no conectesus para vacinar. Sugiro fazer já. Provavelmente o site nao aguentará os acessos quando for o momento.

https://conectesus-paciente.saude.gov.br/ É um cadastro no SUS. Quem tomou a vacina da Febre Amarela em 2018 já tem. Ou quem usou o SUS nos últimos anos. O aplicativo funciona mais ou menos como esses apps de carteira de motorista ou título de eleitor”
Texto que circula pelo Whatsapp

EXAGERADO

A informação analisada pela Lupa é exagerada. O aplicativo Conecte SUS é oficial, seu uso é recomendado e incentivado pelo Ministério da Saúde, mas não é condição obrigatória para a vacinação. O Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19 exige que todos os registros de vacinação devem ser feitos no Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI)  — o que pode ser feito de forma rápida e simples através do aplicativo. Contudo, esta é apenas uma de quatro opções possíveis, e pessoas que não tiverem smartphone ou não quiserem baixar o aplicativo poderão ser vacinadas da mesma forma. 

Segundo o plano, o Conecte SUS pode gerar um QR Code que será usado para cadastrar a aplicação da vacina no SI-PNI. Essa seria a maneira mais fácil de alimentar essa base, essencial para monitorar o processo de aplicação do imunizante na população. Contudo, caso a pessoa não consiga realizar esse processo, isso não irá impedir a vacinação. 

“O cidadão que faz parte dos grupos prioritários elegíveis para a vacinação, mas que chega ao serviço de saúde sem o seu QR-Code em mãos não deixará de ser vacinado. Para isso, o profissional de saúde terá uma alternativa de busca no SI-PNI, pelo Cadastro de Pessoa Física (CPF) ou Cartão Nacional de Saúde (CNS), a fim de localizar o cidadão na base de dados nacional de imunização e tão logo avançar para o ato de vacinar e de execução do registro da dose aplicada”, detalha o plano (página 27 do documento).  

O plano lembra ainda que existem unidades de saúde que não têm conectividade com a internet ou equipamentos com condições de ler QR Code. Por essa razão, o documento simula quatro cenários e o que deve ser feito em cada um deles (página 29 do documento). 

Apesar de não ser obrigatório, o governo quer aproveitar essa oportunidade para incentivar os cidadãos a baixar o Conecte SUS. Na parte do documento que fala sobre a comunicação da campanha, são mencionadas cinco mensagens chave. Uma delas trata do aplicativo: “Baixe o aplicativo Conecte-SUS, que trará o registro da vacina utilizada, doses ministradas, além de alerta da data para segunda dose, em caso de necessidade”, diz o texto (página 54). Na entrevista coletiva de apresentação do plano, em dezembro, a importância de ter o aplicativo foi citada como parte da estratégia de vacinação.

Além de servir para registrar a vacinação contra Covid-19, o Conecte SUS também pode ser usado para agendar consultas, consultar a localização de serviços públicos de saúde e manter o registro de outras vacinas, por exemplo. É possível fazer o download desse aplicativo na App Store, para smartphones com sistema operacional iOS, ou no Google Play, para equipamentos com sistema Android.

Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco pelo número +55 21 99193-3751.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo