A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que supermercado BIG fechará unidade em SP devido ao aumento de impostos

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
21.jan.2021 | 18h13 |

Esta publicação foi corrigida às 10h16 do dia 22 de janeiro de 2021. Veja abaixo.

Circula nas redes sociais um vídeo que mostra prateleiras de uma unidade do supermercado BIG vazias, em Araras (SP). De acordo com o narrador, a empresa está fechando a unidade por causa do aumento de impostos promovido pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB). “Bem-vindo a nova Venezuela”, diz. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Bem-vindo a nova Venezuela. […] Isso aqui é o BIG, não aguentou a concorrência por causa dos impostos do governador Doria, estado de São Paulo, fazendo isso com o nosso país. Bem-vindo a nova Venezuela. Tudo se desfazendo, não tem mais nada para comprar […]”
Trecho de vídeo publicado no Facebook que, até as 17h de 21 de janeiro de 2021, tinha mais de 125 compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Em nota, a assessoria do Grupo BIG informou que a unidade mostrada no vídeo, em Araras (SP), não irá fechar as portas. Segundo a companhia, a unidade está sendo reformada e receberá um novo formato, passando a se chamar Maxxi Atacado, empresa que também faz parte do grupo. “Essa mudança faz parte da estratégia da empresa e reafirma o seu compromisso de crescer, continuar investindo e gerando empregos na região”, explica.

A mudança vem ocorrendo em diversas unidades pelo país, como no Espírito Santo e Paraná. Ou seja, não tem nenhuma relação com aumento de impostos em São Paulo, mas sim é parte de uma estratégia comercial da companhia. Segundo a empresa, a proposta é atender desde pequenos e médios comerciantes até grandes consumidores e profissionais liberais.

Impostos em SP

A lei 17.293/2020, aprovada em outubro pela Assembleia Legislativa de São Paulo, autorizou a redução linear de 20% nos benefícios fiscais concedidos a setores da economia. A proposta faz parte de um ajuste fiscal promovido pelo governador João Doria com a justificativa de que o Estado deixa de arrecadar R$ 40 bilhões ao ano com as isenções. Em 6 de janeiro, entretanto, o governador suspendeu o aumento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para alimentos e medicamentos genéricos. Itens da cesta básica, como arroz e feijão, bem como outros remédios, não tiveram alterações.

Correção às 10h do dia 22 de janeiro de 2021: Por e-mail, a assessoria do grupo BIG informou que a loja mostrada no vídeo fica em Araras (SP), e não em Limeira (SP), como informado inicialmente. Segundo a assessoria, unidades do supermercado em Araras, Itu e Mogi-Guaçu, além de outras fora do estado de São Paulo, estão sendo convertidas em unidades do Maxxi Atacado, mas a loja em Limeira continuará com a marca BIG. A informação equivocada partiu da própria assessoria, que pediu desculpas pelo equívoco. 

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo