A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Tem certeza que deseja sair da sua conta?
Crédito: Christian Wiediger, Unsplash
Crédito: Christian Wiediger, Unsplash

Falsa pesquisa do Ministério da Saúde sobre Covid-19 é usada como isca por golpistas no WhatsApp

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
03.fev.2021 | 17h13 |

Uma falsa pesquisa sobre a Covid-19, supostamente realizada pelo Ministério da Saúde, tem sido usada como isca para clonar contas de WhatsApp via ligação telefônica. Casos similares já foram registrados em vários estados do Brasil e a Polícia Civil realiza investigações em diferentes localidades. O Ministério informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que neste momento não existem pesquisas feitas pela pasta para acompanhamento de casos de Covid-19 em andamento. Também alerta que não solicita informações pessoais e nem envia códigos aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). “Caso receba solicitação de cadastro, o cidadão deve denunciar às autoridades competentes”, diz a nota.

De acordo com relatos ouvidos pela Lupa, as perguntas feitas pelo telefone são verossímeis, como, por exemplo, se a pessoa foi impactada pela doença e se tem casos próximos.

O golpe normalmente segue um roteiro parecido: por meio de um telefonema, uma pessoa se identifica como sendo do Ministério da Saúde e afirma se tratar de uma pesquisa sobre a Covid-19. Após uma série de perguntas, o suposto funcionário afirma que, para dar sequência à entrevista, precisa confirmar o cadastro. Para isso, envia um código de seis dígitos via SMS e pede que o entrevistado informe os números. No entanto, esses dados são usados para registrar o número do WhatsApp da vítima em outro aparelho e, dessa forma, roubar a conta e contatos.

O mais comum é que, uma vez em posse da conta de WhatsApp, o golpista acione familiares e amigos da lista de contatos para pedir “empréstimos”.

Ligações partem de presídios

Golpes similares, mas com histórias diferentes, são alvo de apuração em diferentes partes do país pelas polícias civis. O delegado do Departamento Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), Giancarlos Zuliania, explicou, por telefone, que o golpe já vem sendo aplicado há algum tempo. “Só muda a história. Segundo as nossas investigações, muitas dessas ligações partem de presídios em cidades como São Paulo, Goiânia e Fortaleza”, disse.

Para evitar que a população caia no golpe, a PCDF desenvolveu uma cartilha com orientações para recuperação da conta. Caso algum amigo ou parente tenha efetuado depósito na conta do autor do crime, a recomendação é registrar um boletim de ocorrência e indicar o nome da pessoa que fez o pagamento como vítima de crime de estelionato.

O próprio WhatsApp orienta que usuários nunca compartilhem o código de confirmação do aplicativo recebido por SMS com outras pessoas, nem mesmo com amigos ou familiares. Caso isso aconteça, a empresa recomenda que a pessoa notifique seus contatos.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo