A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que pastor morreu um dia após ser vacinado com a CoronaVac no Tocantins

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
04.fev.2021 | 18h20 |

Circula pelas redes sociais a foto de um homem que teria morrido um dia depois de tomar a primeira dose da CoronaVac em Araguaína (TO) em 20 de janeiro deste ano. A vacina contra a Covid-19 está entre as que foram adotadas pelo Plano Nacional de Imunização do governo federal e é produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a empresa chinesa Sinovac. De acordo com a mensagem, a suposta vítima seria o pastor Venceslau, presidente da Assembleia de Deus Ministério de Madureira. Outra versão do post diz que se tratava de um enfermeiro da cidade. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa​:

“Já está acontecendo, fiquem atentos pois a grande mídia não vai mostrar. Pastor Venceslau Presidente da Igreja Assembléia de Deus – Madureira em Araguaína – TO. Tomou a VaCHINA e na madrugada do dia seguinte passou mal e veio a óbito pela manhã”

Texto em post do Facebook que, até as 17h30 de 4 de fevereiro de 2021, tinha 287 compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Em nota, a Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério de Madureira, em Araguaína, afirmou que a pessoa exibida no post jamais atuou no local. “Nenhum pastor deste campo veio a óbito após tomar a vacina contra a Covid-19”, diz o texto. “O suposto pastor Venceslau que está sendo divulgado nas redes sociais não pertence ao nosso ministério em Araguaína e não temos conhecimento da sua existência.” O desmentido, que tem data de 26 de janeiro, é assinado pelo presidente da igreja em Araguaína, o pastor João Milton Moreira Gomes, e pelo vice-presidente, o pastor Edimilson Ferreira da Silva.

A prefeitura também afirmou que se trata de uma notícia falsa. De acordo com o Setor de Imunizações da Secretaria da Saúde do município, as primeiras doses da vacina só chegaram a Araguaína no dia 20 de janeiro. A aplicação começou um dia depois da data da suposta morte do “pastor Venceslau”. Logo, ainda que uma pessoa tenha falecido em 20 de janeiro, o óbito nada teria a ver com o uso do imunizante. “Nenhuma complicação após a vacina foi registrada na cidade”, informou, em nota, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura. A pasta também desmentiu que um enfermeiro morreu após tomar vacina. O homem que aparece na foto não pôde ser identificado.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo