A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

#Verificamos: É falso que general Luna demitiu 300 funcionários da Petrobras ‘ligados a José Dirceu’

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
23.fev.2021 | 19h40 |

Circula pelo WhatsApp um áudio que diz que funcionários da Petrobras supostamente ligados ao ex-ministro da Casa Civil José Dirceu estariam passando informações para governadores sobre os preços dos combustíveis. Por essa razão, o general Joaquim Silva e Luna, novo presidente da empresa, teria demitido 300 funcionários e decidido desocupar um andar inteiro do prédio principal para dar espaço para agentes da Polícia Federal e do Exército. Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:

“Disse que até às 11 horas ele [general Luna] tinha demitido do prédio central da Petrobras 300 funcionários. Demitido para a rua. O que tinha de gente que recebia e tava lá na folha de pagamento não faz ideia. E mandou a Petrobras, eu conheço o prédio dela, tem 22 andares. Ele mandou desocupar um andar inteiro, um andar inteiro e botou a inteligência do Exército e a Polícia Federal (…)”
Áudio que circula pelo WhatsApp

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. A assessoria de imprensa da Petrobras informou que não demitiu 300 funcionários e nem desocupou um andar para colocar agentes da Polícia Federal e do Exército. Procurada, a assessoria de imprensa da Polícia Federal também disse que não tem informações de agentes que estariam ocupando um andar do prédio da estatal. “Eventuais solicitações de cessão de servidor para qualquer entidade da administração direta ou indireta são sempre avaliadas nos termos da lei”, afirmou a assessoria.

O áudio que circula pelo WhatsApp começou a ser compartilhado após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciar que trocaria o atual presidente da estatal, o economista Roberto Castello Branco, pelo general Joaquim Silva e Luna, na última sexta-feira (19). Contudo, essa troca ainda não foi efetuada. Ou seja, o general nem sequer tomou posse como presidente da Petrobras, quanto mais demitiu funcionários da empresa. Nesta terça-feira (23), Bolsonaro disse que não está brigando com a empresa, mas que demanda mais “transparência e previsibilidade” da Petrobras.


“(…) Diz que tá uma zoada tão grande lá em Brasília que você não faz ideia…que o Bolsonaro ficou horrorizado do que ele descobriu da Petrobrás. Ela tem vários e vários funcionários ligados ainda a Zé Dirceu, aquele petista, que eles se reportam a todos os governadores do Brasil. É uma maracutaia que eles fazem para a gasolina e o óleo diesel estarem a esse preço. Só para favorecer  o imposto estadual. Quanto mais alto o combustível ficar, melhor para o imposto estadual, que eles ganham mais. É tudo gente dentro da Petrobrás que faz a transação”
Áudio que circula pelo WhatsApp

FALSO

A assessoria de imprensa da Petrobras comunicou que a informação de que funcionários da empresa são “ligados” ao ex-ministro  da Casa Civil José Dirceu “não tem qualquer fundamento”. Procurado, Dirceu também negou o esquema relatado no áudio. Entre dezembro e fevereiro, o custo do barril de petróleo cresceu 35% no mercado internacional, o que elevou o preço dos combustíveis — e não uma “maracutaia” de governadores com funcionários da empresa.

Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco pelo número +55 21 99193-3751.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo