Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: É falso que Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre, não tenha superlotação em função da Covid-19

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
03.mar.2021 | 20h47 |

Um vídeo que circula nas redes sociais sugere que a superlotação no Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre, seria uma farsa. O narrador mostra imagens da unidade sem circulação de pessoas, levantando dúvidas sobre a crise em decorrência da Covid-19. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“No mínimo estranho o Hospital Moinhos [de Vento] vazio! COMPARTILHE!! 03/03/21 10.15h Porto alegre”
Texto em vídeo publicado no Facebook que, até as 19h de 3 de março de 2021, tinha mais de 168 compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Por diversas vezes ao longo do vídeo, o narrador sugere que a superlotação no Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre, em decorrência da Covid-19 seria uma farsa. “Vou passar aqui para o outro lado, na emergência. Me diz uma coisa, se tu tem um alarde, se tu tem um problema sério de saúde, as pessoas que têm seus entes hospitalizados não estariam aqui na rua, não estariam aqui olhando para os seus mortos, chorando, na frente? Gente, olha a emergência, não tem ninguém”, diz o narrador do vídeo. Boletim divulgado pelo Moinhos nesta quarta-feira (3) mostra que, no total, há 223 pacientes internados com Covid-19. A ocupação dos leitos de UTI passa de 100%, conforme a assessoria de imprensa do hospital. A instituição acrescentou que opera acima da capacidade de pacientes infectados pelo coronavírus nas áreas de internação. O superintendente médico do hospital, Luiz Antônio Nasi, afirmou à GloboNews que a unidade vive “um cenário de guerra”.

De acordo com o hospital, familiares são orientados a permanecerem em casa, “uma vez que as visitas são vedadas nestes casos”. Por isso, as imagens da entrada do Moinhos passam uma sensação de normalidade, o que não significa que não haja pessoas internadas com Covid-19 do lado de dentro. “A ideia de normalidade sugerida pelo vídeo é, na verdade, resultado das medidas adotadas pelo Comitê de Enfrentamento da COVID-19, visando manter os padrões de qualidade assistencial e médica da instituição”, aponta a nota.

Em um trecho do vídeo, o narrador diz: “Olha a barraca do Covid. Não tem ninguém”. Ele se refere a uma tenda de atendimento a pacientes com suspeita de infecção por Covid-19, que aparece vazia no vídeo. A assessoria explica que o hospital decidiu fechá-la, direcionando o atendimento para a Emergência, limitando-se a casos classificados como vermelho e laranja.

Na terça-feira (2), o hospital informou que instalará provisoriamente um contêiner refrigerado, “considerando a possibilidade de atrasos na retirada dos óbitos por parte das funerárias”. Segundo a administração da unidade, o equipamento só será utilizado “em caso de real necessidade”.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Marcela Duarte

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo