A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É antigo comunicado da Unimed alertando para pico de casos de Covid-19 no Brasil

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
05.mar.2021 | 15h40 |

Circula pelo WhatsApp um comunicado da Unimed Cataguases afirmando que o “pico do vírus” acontecerá entre os dias 6 e 20 de abril. Por essa razão, a entidade estaria recomendando para que as pessoas evitassem sair de casa para não serem contaminadas pela Covid-19. Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:


“O pico do vírus será de 06 a 20 de abril, se o pico dos casos for realmente nestes dias, a maioria das pessoas se contaminarão entre hoje e a próxima quarta-feira. Para que o pico seja mais brando, precisamos aumenta o isolamento social. Envie aos amigos, vizinhos e familiares. Unimed Cataguases”
Imagem que circula pelo WhatsApp

FALSO

A imagem analisada pela Lupa é antiga. A assessoria de imprensa da Unimed afirmou que a publicação foi veiculada em 2020, na fase inicial da pandemia da Covid-19, para alertar a população sobre a necessidade do isolamento social. “É importante considerar que o contexto da época dessa divulgação era outro e que o comunicado da cooperativa apoiava as recomendações das autoridades públicas locais”, disse. 

Contudo, a previsão da Unimed de que o pico da pandemia aconteceria em abril de 2020 não estava correta. Os dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que, no ano passado, julho foi o mês com maior número de casos diários de Covid-19 no Brasil. A OMS indica que o total de infectados no país caiu no final de 2020, mas voltou a aumentar em 2021. O novo coronavírus já contaminou mais de 10,7 milhões de brasileiros, sendo que 261 mil pessoas morreram da doença até a última quarta-feira (4), segundo dados do consórcio de imprensa. Na última quarta-feira (4), o Brasil bateu o 6º dia consecutivo de recorde de média móvel de óbitos. 

Segundo o infectologista e professor da Universidade Federal Fluminense (UFF) Andre Ricardo Araujo da Silva, entre os meses de março e maio há um aumento esperado das doenças respiratórias. Isso ocorre por causa da sazonalidade dos vírus respiratórios de uma forma geral, ou seja, é um período mais propício para o contágio. Contudo, até o momento, ainda não é possível prever quando será o próximo pico de casos da Covid-19.

Por essa razão, autoridades internacionais de saúde seguem recomendando manter o distanciamento social. Para diminuir o avanço do vírus, algumas regiões do país voltaram a restringir a circulação de pessoas. No município do Rio de Janeiro, por exemplo, a prefeitura proibiu a permanência de pessoas em vias públicas das 23h às 5h até o dia 11 março. Eventos, festas e atividades comerciais na orla também estão proibidas no mesmo período. 

Essa informação também foi verificada pelo Boatos.org.

Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco pelo número
+55 21 99193-3751.

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo