Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: É falso vídeo que atribui gravação em hospital fictício a ‘teatro de Covid-19’ no Ceará

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
22.mar.2021 | 18h03 |

Circula por grupos de WhatsApp um vídeo que compila declarações do governador do Ceará, Camilo Santana (PT), com cenas que sugerem ser a UTI de um hospital. A fala de Santana sobre novas medidas de enfrentamento à pandemia no estado é seguida por imagens de profissionais da saúde num ambiente hospitalar com a legenda “Teatro de Covid-19”. O narrador da gravação sugere que a situação mostrada no estado é uma farsa, uma vez que há uma encenação diante de várias câmeras. Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:

“Gravíssimo, VEJA O TEATRO DO GOVERNO DO CEARÁ, para com o VÍRUS CHINÊS. É uma SITUAÇÃO de INTERVENÇÃO CIVICO MILITAR JÁ. Que tristeza, Pessoal DIVULGUEM isso, sim é TERRORISMO GENOCIDA. ?”

Vídeo que circula em grupos de WhatsApp

FALSO

O vídeo analisado pela Lupa é falso. Embora as imagens que aparecem na sequência da declaração do governador Camilo Santana sejam, de fato, de um cenário que imita um hospital, as cenas não foram gravadas pelo governo do estado para representar um suposto “caos” no sistema de saúde cearense e não fazem parte de um “teatro de Covid-19”, como sugere o vídeo. Trata-se de um vídeo promocional gravado pelo Centro Médico Shamir, um hospital localizado em Israel.

Na gravação, é possível observar que os cinegrafistas falam hebraico — no jaleco dos personagens médicos, inclusive, aparecem palavras nesse idioma. Numa busca reversa da filmagem, foi possível descobrir que a gravação tem circulado em outros países e sua origem já foi verificada por plataformas de checagem. Um porta-voz da unidade de saúde confirmou se tratar de um vídeo promocional à agência alemã DPA e ao site bósnio Raskrikavanje. A gravação das cenas ocorreu no estacionamento do hospital, para mostrar que é possível converter o lugar em um centro de tratamento. Um outro vídeo no canal do hospital do YouTube mostra o mesmo local em ângulos diferentes.

No primeiro trecho do vídeo que circula pelo WhatsApp, Santana fala sobre medidas de enfrentamento à pandemia que anunciaria em breve. Essa gravação foi feita durante vistoria da montagem de uma unidade de campanha do Hospital Geral de Fortaleza e foi publicada no perfil no Instagram do Jornal Jangadeiro em 16 de março. 

Além disso, o caos no sistema de saúde cearense não é fictício. Com 12.897 óbitos por Covid-19 registrados em 21 de março, o Ceará ocupa o sétimo lugar na lista dos estados com mais mortes pela doença. Em 1º de março, o estado teve recorde de casos confirmados em um só dia. Até a última sexta-feira (19), mais de 480 pessoas com Covid-19 esperavam por uma vaga de UTI na rede pública. Só na capital, Fortaleza, seis hospitais atingiram o limite máximo de ocupação das UTIs

Procurada pela Lupa, a Secretaria de Comunicação (Secom) do governo do Ceará informou, por WhatsApp, que as imagens não foram gravadas em qualquer unidade de saúde do Ceará, e nem pelo governo do Ceará. Sobre as ações mencionadas por Camilo Santana no começo do vídeo, a Secom afirmou que se referiam à ampliação das medidas sociais de apoio à população cearense. “Camilo Santana usa o termo ‘esforço’ para anunciar as novas medidas em referência às dificuldades encontradas pelos estados para a manutenção da capacidade de investimentos e dos empregos em meio à pandemia e falta de apoio do auxílio emergencial do governo federal”, diz a nota.

A Secom também explicou os valores questionados na narração. Referem-se ao financiamento, por parte do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), de crédito para ações do Programa Integrado de Prevenção e Redução da Violência (PReVio), no valor de R$ 290 milhões; e também à parceria com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, que destinou R$ 19 milhões ao Ceará para reforço de medidas pela redução da violência.

Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco pelo número +55 21 99193-3751.

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo