A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que Fábio Porchat recebeu R$ 5 milhões da Lei Rouanet por dois filmes sem prestar contas

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
23.mar.2021 | 16h18 |

Circula pelas redes sociais que o humorista Fábio Porchat seria responsável pelos dois filmes da franquia Meu Passado Me Condena e não teria feito a prestação de contas de ambos, no valor total de R$ 5 milhões. O dinheiro foi captado por meio da Lei Rouanet. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Mamar 5 milhões sem prestar conta? Até eu ia chamar o Bozo de Genocilda… (sic)”
Texto de imagem que, até às 11h do dia 23 de março de 2021, tinha sido compartilhada por 100 pessoas no Facebook 

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O humorista Fábio Porchat não produziu dois filmes que deixaram de prestar contas, no valor de R$ 5 milhões, obtidos por meio da Lei Rouanet. Citada na imagem em dois tuítes de Thiago Gagliasso, a comédia nacional Meu Passado me Condena conta a história de um casal em lua de mel, que é interpretado por Porchat e pela atriz Miá Mello. Nos créditos finais do filme, Porchat aparece apenas como ator. Ou seja, ele não foi responsável pelo projeto, que teve uma sequência.

“Eu não sou produtor dos filmes da franquia Meu Passado Me Condena e nem teria como ser responsabilizado por qualquer tipo de irregularidade, se houvesse. E não há. A excepcional produtora Mariza Leão tem décadas de lisura no cinema e sempre fez tudo de acordo com a lei”, disse o ator, por telefone. 

O site de Consulta de Projetos Audiovisuais da Agência Nacional de Cinema (Ancine) também mostra que não há prestações de contas não entregues dos longas Meu Passado Me Condena ou Meu Passado Me Condena 2. Foram captados R$ 2,1 milhões no primeiro e R$ 3 milhões no segundo, por meio da Lei Rouanet. Segundo o sistema da Ancine, ambos tiveram a prestação de contas final apresentada. A produtora responsável pelas obras, Mariza Leão, afirma que todos os documentos foram entregues dentro dos prazos legais e que a Ancine nunca questionou qualquer documento

A acusação falsa contra Porchat viralizou depois de dois tuítes feitos por Thiago Gagliasso na semana passada, reproduzidos no post checado pela Lupa. Procurado, ele não retornou.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo