A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É de 2015 vídeo que mostraria ‘protesto’ contra morte de PM na Bahia

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
30.mar.2021 | 15h01 |

Circula nas redes sociais um vídeo que mostra uma multidão de pessoas em marcha. Segundo a publicação, o registro foi feito durante os protestos que ocorreram na Bahia contra a morte de Wesley Soares Góes, soldado da Polícia Militar. O PM foi baleado após atirar contra agentes do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) no domingo (28), em Salvador (BA). Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“PMS DE SALVADOR REVOLTADOS COM A MORTE DO SOLDADO PATRIOTA, INDO EM DIREÇÃO AO PALÁCIO DO DITADOR COMUNISTA RUI COSTA”
Legenda de post publicado no Facebook que, até as 13h de 30 de março de 2021, tinha mais de 7,4 mil compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O vídeo que circula nas redes sociais foi publicado em 6 de setembro de 2015, no canal do YouTube Hospício 1910. O registro, na verdade, mostra torcedores do Corinthians em marcha rumo ao clássico contra o Palmeiras, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro de Futebol 2015. O jogo naquele dia terminou empatado, em 3 a 3. Portanto, o vídeo não tem nenhuma relação com o caso do soldado da Polícia Militar Wesley Soares Góes.

Segundo o Bope, o PM foi morto por agentes do batalhão após disparar contra os policiais que cercavam a área do Farol da Barra, em Salvador. O soldado chegou a ser socorrido por uma ambulância e levado para o Hospital Geral do Estado, mas não resistiu aos ferimentos. A notícia da morte do PM vem sendo usada para atacar as medidas de confinamento adotadas pelo governador da Bahia, Rui Costa (PT).

Devido ao fato, houve uma manifestação na segunda-feira (29), pedindo justiça pela morte do policial. Entretanto, fotos mostram que o protesto reuniu um grupo pequeno de pessoas, ao contrário do vídeo que circula nas redes sociais.

O comandante-geral da Polícia Militar da Bahia, coronel Paulo Coutinho, durante coletiva de imprensa, explicou que Góes dirigiu-se ao Farol da Barra, em Salvador, aparentando um quadro de “surto psicótico” e, por volta das 14h, começou a atirar com um fuzil, primeiramente para o alto e, no final da tarde, contra a própria tropa da Polícia Militar presente no local. “A situação não permitia, inclusive pela distância, a utilização de uma pistola de condicionamento. A tropa estava sendo atacada com uma arma de guerra, um fuzil. Efetivamente, é um potencial de letalidade grande. As ações foram desencadeadas com o objetivo de retirá-lo do enfrentamento”, diz.

Checagem similar foi feita por Aos Fatos.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo