A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É golpe pesquisa de satisfação em nome da Shopee

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
31.mar.2021 | 17h47 |

Circula por grupos de WhatsApp uma suposta pesquisa do programa de fidelidade da Shopee, plataforma de comércio eletrônico. O usuário abre um link onde se lê a mensagem de que foi “escolhido” para participar e que, como prêmio, receberá um Galaxy S21. De acordo com a descrição, a empresa escolhe 30 participantes a cada quarta-feira para participar da oferta. Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:

“Parabéns!

Hoje, 31 marcha, 2021, você foi escolhido para participar de nossa pesquisa. Você levará apenas um minuto e receberá um prêmio fantástico: um Galaxy S21!

Cada Quarta feira nós escolhemos aleatoriamente 30 usuários para dar a eles a chance de ganhar prêmios incríveis. O prêmio de hoje é um Galaxy S21! Haverá 30 vencedores sortudos.

Esta pesquisa visa melhorar a qualidade do atendimento aos nossos usuários e sua participação será recompensada 100% (…)”

Conteúdo que circula em grupos de WhatsApp

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. A plataforma de venda e compras on-line Shopee nunca premiou consumidores com um aparelho celular em troca de respostas a uma pesquisa de satisfação. Em nota enviada por meio do canal de atendimento, a empresa informou que não realizou esse tipo de pesquisa e que todas as ofertas estão disponíveis na página oficial. Trata-se, portanto, de um golpe de phishing, termo em inglês para uma prática criminosa que tem o objetivo de roubar informações sigilosas, como dados bancários e senhas de perfis em redes sociais.

O primeiro indício de fraude está no endereço da página da pesquisa enganosa. Embora o link que vem sendo compartilhado em correntes do WhatsApp direcione para um site com as cores e a marca da Shopee, o endereço é diferente do original. Em vez do nome da empresa seguido do sufixo “.com.br”, o endereço da versão falsa é formado por letras aleatórias e do sufixo “.cn”. Outro indício são os erros de português. Em vez de “31 de março”, por exemplo, a data está escrita como “31 marcha”.

Ao dar sequência à pesquisa, o usuário é direcionado para outra página onde constam instruções para compartilhar o link em pelo menos cinco grupos ou 20 usuários do WhatsApp. Esses contatos podem ser usados por criminosos para roubar informações ou pedir dinheiro. Prestar atenção em detalhes como o endereço do site e conferir os canais oficiais da marca citada são algumas das recomendações da Polícia Federal para evitar que internautas sejam vítimas de crimes cibernéticos. Na dúvida, não clique em links e não preencha dados como cartão de crédito e senha.

No começo de março, outros quatro golpes similares circularam por grupos de WhatsApp e foram desmentidos pela Lupa.

Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco pelo número +55 21 99193-3751.

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo