A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: É falso que vídeo em cemitério ‘prova’ que a mídia inventa enterros de mortos por Covid-19

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
01.abr.2021 | 19h15 |

Circula pelo WhatsApp um vídeo de uma pessoa com roupa de proteção, cavando um buraco em um cemitério e sendo filmada por uma equipe com uma câmera profissional. A legenda que acompanha a gravação afirma que essa seria a prova de que o enterro teria sido inventado. Todos usam máscaras, o que indica que a gravação ocorreu durante a pandemia da Covid-19. Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:

“Olha a mídia aí que mostra o que interessa do jeitinho deles. Continua mesmo vendo redeglobo. Nego inventa até enterro”
Legenda que acompanha o vídeo que circula pelo WhatsApp

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O vídeo que circula pelo WhatsApp não “inventa um enterro” para desinformar pessoas sobre a gravidade da pandemia da Covid-19. Na realidade, a gravação mostra a produção de uma reportagem especial da TV Vitória, uma afiliada da Rede Record, que falou sobre a rotina de trabalho dos coveiros. Em nenhum momento essa equipe estava simulando um enterro de uma pessoa que morreu com a doença.

Com a pandemia da Covid-19, a TV Vitória vem produzindo reportagens homenageando profissionais que trabalham na linha de frente da crise de saúde. No dia 30 de março, uma equipe do canal foi ao Cemitério Municipal da Barra do Jucu, em Vila Velha (ES), para realizar uma entrevista com uma coveira. A ideia era mostrar o dia a dia da trabalhadora, apontando os cuidados necessários que ela tomava durante o serviço.

Para ilustrar, os cinegrafistas captaram diversas imagens de apoio que mostram a coveira realizando ações diárias, como lavar as mãos e tirar o equipamento de proteção. Esse é um procedimento comum realizado por equipes de televisão para contar melhor uma história. A repórter Marla Bermudes afirma que, quando chegaram ao cemitério, cinco covas já estavam abertas e a coveira mostrou para a equipe como era o movimento que ela realizava diariamente para enterrar os corpos.

Um homem não identificado filmou a ação de longe e, no dia seguinte, antes da reportagem ir ao ar, diversos ataques à repórter e à emissora começaram a ser compartilhados nas redes sociais. “Quando eu cheguei na TV, comecei a receber o vídeo pelo WhatsApp. Não fazia sentido, era uma matéria para elogiar os coveiros”, contou Bermudes, por telefone. Ao ver as imagens fora de contexto, a equipe decidiu não exibir essa cena no corte final da reportagem, mas decidiu que a repórter Marla Bermudes iria se pronunciar publicamente na TV sobre o caso

“Os profissionais envolvidos estão sendo atacados nas redes sociais, de maneira covarde. A Rede Vitória tomará todas as medidas cabíveis, seja fortalecendo a transparência, seja via judicial contra a produção e o compartilhamento do ataque virtual criminoso”, afirmou a Rede Vitória de Comunicação, em nota

Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco pelo número +55 21 99193-3751.

Editado por: Maurício Moraes e Marcela Duarte

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo