A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que Nike lançou um ‘tênis satanista’ em parceria com o rapper Lil Nas X

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
19.abr.2021 | 18h38 |

Circula pelas redes sociais que a Nike lançou uma coleção de “tênis satanista” em parceria com o rapper norte-americano Lil Nas X. De acordo com a publicação, o produto tem símbolos como um pentagrama e uma cruz invertida e contém, ainda, uma gota de sangue humano. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“FORA NIKE!

NIKE LANÇA COLEÇÃO DE TENIS SATANISTA CRIADA PELO HAPPER AMERICANO ‘LIL NAS X’, LIMITADA A 666 PARES, COM SIMBOLOS COMO PENTAGRAMA, VERSICULO LUCAS 10;38, CRUZ INVERTIDA E ATÉ GOTA DE SANGUE HUMANO” NOSSA LUTA NÃO É IDEOLÓGICA, É ESPIRITUAL!”

Texto em post que circula no Instagram que, até as 14h de 19 de abril de 2021, tinha mais de 2,3 mil curtidas

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Um coletivo de artistas de Nova York chamado MSCHF, e não a Nike, lançou uma coleção de tênis em parceria com o rapper Lil Nas X. O grupo, conhecido por fazer intervenções controversas que misturam moda, tecnologia e arte em diferentes plataformas, customizou 666 pares do modelo Nike Air Max 97 com as cores vermelha e preta, adicionou símbolos associados ao satanismo e batizou-os de “Satan Shoes”. Essas alterações, contudo, não foram feitas com o consentimento da Nike e nem fizeram parte de uma ação de marketing da organização. 

A empresa está processando os responsáveis por violação de marca registrada. No catálogo de calçados disponível no site oficial da fabricante, não há nenhum modelo similar ao “Satan Shoes”. Em nota, a assessoria de imprensa da Nike no Brasil afirmou que não tem nenhum relacionamento com Lil Nas X ou com o MSCHF e também que “a Nike não projetou ou lançou esses tênis e não os endossamos. Não fazemos comentários sobre questões jurídicas pendentes”. 

Além das cores, dos símbolos pentagrama e cruz invertida e da inscrição bíblica “Lucas 10:18”, que diz “Eu vi Satanás cair como um raio do céu”, o coletivo MSCHF afirmou ter adicionado uma gota de sangue, doada pelos próprios artistas, à tinta vermelha que preenche a bolha de ar dos tênis. Os 666 pares do produto foram lançados dias depois da estreia no YouTube de “Montero (Call Me By Your Name)”, música mais recente de Lil Nas X. O clipe, bastante polêmico, mostra o rapper caindo do paraíso para o inferno. No final, o rapper simula uma relação sexual com o diabo. Os 666 pares foram vendidos por US$ 1.018 cada.

Em comunicado publicado na página do “Satan Shoes”, o MSCHF confirmou que não tem nenhuma associação com a Nike e criticou a marca pelo que considerou censura — em 2019, o coletivo lançou uma coleção de sapatos feitos com os mesmos modelos, Air Max 97, customizados com a inscrição “Mateus 14:25”, passagem bíblica que evoca o milagre de Jesus andando sobre as águas. A bolha de ar do tênis continha água abençoada, supostamente do rio Jordão. Esses modelos customizados foram chamados de “Jesus Shoes”. “Satanás faz parte do cânone da história da arte tanto quanto Jesus”, informa a nota.

À imprensa norte-americana, a Nike argumentou que a ação foi movida porque os sapatos “podem causar confusão e criar uma associação errônea entre os produtos da MSCHF e os da Nike”. Também afirmou que “já existiam evidências de confusão (…), incluindo chamadas para boicotar a Nike em resposta ao lançamento dos ‘Satan Shoes’ com base na crença equivocada de que a Nike autorizou ou aprovou o produto”.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo