Tem certeza que deseja sair da sua conta?

Covid: eu informo: Lupa forma rede de rádios para difundir checagens sobre a pandemia

| Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
31.maio.2021 | 10h00 |

A partir desta segunda-feira (31), rádios comunitárias e universitárias de todo o Brasil começam a ter acesso gratuito ao conteúdo verificado pela Lupa sobre vacinas contra a Covid-19 e outros temas relativos à pandemia. O projeto Covid: eu informo formará uma rede de emissoras em todo o Brasil com o objetivo de ampliar o alcance da informação verificada sobre o novo coronavírus.

Para fazer parte da rede, as rádios devem manifestar interesse através de um formulário de inscrição. A partir daí, terão acesso às checagens da Lupa em formato de texto adaptado à linguagem radiofônica e também em áudio. Assim, poderão incorporar os conteúdos à sua programação da maneira como for mais adequada às suas audiências. A Lupa seguirá acompanhando a difusão dos conteúdos e medindo o impacto das verificações junto às emissoras da rede e ao público.

“Nosso objetivo é sempre levar informação de qualidade à maior quantidade possível de pessoas. Com o Covid: eu informo buscamos atingir, principalmente, as áreas conhecidas como desertos de notícias, onde praticamente não há veículos de informação de referência”, explica Natália Leal, diretora de Conteúdo da Lupa. “Nesses locais, as rádios comunitárias e universitárias são fundamentais no processo informativo, por isso pensamos em atendê-las e auxiliá-las disponibilizando conteúdos que não poderíamos fornecer sem o apoio financeiro do Google.”

Neste primeiro momento, 20 rádios já integram a rede. Há emissoras de todas as regiões do Brasil, que atingem cidades de diferentes tamanhos. O projeto é gerido pela jornalista roraimense Thays Lavor, residente em Fortaleza,  e conta com a produção e edição da jornalista Schirlei Alves, catarinense, baseada em Florianópolis.

“Este projeto vai além da entrega de conteúdo para republicação, ele é construído junto com essas rádios, pois entendemos e respeitamos  as singularidades de cada uma”, considera Lavor.

A iniciativa da Lupa faz parte de uma parceria com a ONG Redes Cordiais contemplada em um fundo de financiamento de projetos de fact-checking e educação midiática do Google News Initiative. A Lupa foi a única plataforma de checagem brasileira a receber o apoio do Google nesse financiamento, anunciado em março. 

Além da rede de rádios, o projeto conta com um eixo de formação de agentes comunitários de saúde chamado de Vacina: eu informo. Nele, os agentes receberão vídeos sobre como combater a desinformação sobre vacinas e se tornarão embaixadores da informação verificada em suas áreas de atuação. O projeto também prevê transmissões ao vivo com influenciadores das cinco regiões do país e especialistas para discutir os conteúdos falsos sobre vacinas e Covid-19.

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo