A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que o general Pazuello ameaçou veículos de imprensa no Instagram

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
08.jun.2021 | 18h58 |

Circula pelas redes sociais uma foto do general Eduardo Pazuello, ex-ministro da Saúde, com uma frase em que ele faz uma ameaça ao portal UOL e ao jornal Folha de S.Paulo. O militar teria dito a esses veículos que não estão “brincando com moleques ou com os bandidos” com os quais “estão acostumados a lidar”. O general também teria afirmado que não aceitará “intimidações e difamações”. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa​:

“Gostaria de avisar a Folha e a UOL que vocês não estão brincando com moleques ou com os bandidos que vocês estão acostumados a lidar e que não aceitaremos, repito, não aceitaremos intimidações e difamações”

Frase atribuída ao general Eduardo Pazuello em post publicado no Facebook que, até as 17h de 8 de junho de 2021, tinha 693 compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O general Eduardo Pazuello não tem contas em redes sociais. Declarações falsas já foram atribuídas a ele quando ocupava o Ministério da Saúde, mas foram desmentidas repetidamente pela pasta. Além disso, não há qualquer registro de que Pazuello tenha feito publicamente uma ameça ao UOL e à Folha de S.Paulo. A imagem que circula pelas redes sociais foi publicada por uma conta do Instagram que afirma ser de “apoio” ao militar, mas usa o seu nome completo no perfil e nas publicações. Como a imagem passou a circular pela internet sem esse contexto, a frase tem sido interpretada erroneamente como uma fala do próprio Pazuello.

A frase usada no perfil em homenagem a Pazuello foi publicada um dia antes por um usuário do Twitter, o advogado Emerson Grigollette, de Presidente Prudente (SP), como uma opinião pessoal. Pelo WhatsApp, ele confirmou ser o real autor da afirmação. “Sim, eu publiquei, mas em momento algum disse que a frase foi do Pazuello”, explicou. “Essa frase é minha, eu publiquei no meu Twitter. Não faço a menor ideia se ele disse a mesma frase”. Não há nenhuma manifestação de Pazuello nesse sentido. Ao ser informado do fato pela Lupa, ele publicou uma contestação no post do Instagram.

Em 27 de maio de 2020, o Ministério da Saúde desmentiu, no Twitter, outra frase do general, que ocupava o cargo de ministro interino da pasta, com críticas à Polícia Federal. A afirmação vinha de um perfil falso naquela rede social. Cerca de dez dias depois, o ministério também contestou a autoria de uma fala sobre a notificação de mortes por suspeita de Covid-19 em atestados de óbito. Novamente, tratava-se de uma notícia falsa. No final de janeiro deste ano, reportagem do UOL afirmou que o Ministério da Saúde estava adotando medidas judiciais contra postagens em perfis falsos usando o nome de Pazuello. Na época, a pasta reforçou que ele não tinha conta oficial em nenhuma plataforma.

Uma versão semelhante dessa checagem foi feita pelo Aos Fatos.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo