A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

#Verificamos: É falso que Biden passou a defender a ivermectina como ‘tratamento precoce’ contra Covid-19

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
21.jun.2021 | 19h15 |

Circula pelas redes sociais que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, estaria defendendo a Ivermectina como medicamento contra a Covid-19. De acordo com a publicação, o democrata também passou a “culpar a China” pela pandemia do novo coronavírus. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“E agora, José? Mr. Biden defendendo Ivermectina, defendendo tratamento precoce (…) Será que combinou com Bolsonaro?
E agora esquerdosos?”
Texto em post que circula pelo Facebook que, até as 13h20 de 21 de junho de 2021, tinha sido compartilhado mais de 830 vezes

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Não há qualquer registro na imprensa de que o presidente norte-americano Joe Biden tenha defendido publicamente o uso da ivermectina para tratar a Covid-19. Em pronunciamentos oficiais ou mesmo nas redes sociais (Twitter, Facebook e Instagram), também não há qualquer afirmação do democrata a favor do “tratamento precoce”.

No plano de combate à Covid-19 elaborado pela administração Biden e disponível no site da Casa Branca, não há menções a tratamento com medicamentos como ivermectina ou hidroxicloroquina, por exemplo, como estratégia de mitigação da crise sanitária. O documento enumera algumas prioridades e, entre elas, destaca o uso de máscaras e a testagem em massa. O texto também evidencia que todas as decisões serão pautadas na ciência e que as orientações à população devem ser baseadas em evidências científicas. 

Até o momento, órgãos de saúde do governo norte-americano, como a Food and Drug Administration (FDA) e o National Institutes of Health (NIH), não recomendam a ivermectina para tratar a Covid porque os dados das pesquisas realizadas até o momento são insuficientes para comprovar eficácia contra a doença. 

Quando ainda era candidato a presidente, Biden criticou o uso de tratamento precoce com cloroquina e hidroxicloroquina por falta de comprovação científica. Em 20 de maio de 2020, chamou o adversário e então presidente Donald Trump de irresponsável por ter tomado hidroxicloroquina. Na ocasião, Biden afirmou que “não há nenhuma equipe médica séria  dizendo para usar essa droga. É contraproducente. Não vai ajudar. ” 

Vale pontuar que em 17 de junho deste ano os Estados Unidos anunciaram investimento de US$ 3,2 bilhões em pílulas antivirais para tratar a Covid-19. O objetivo é acelerar os testes clínicos de medicamentos promissores e desenvolver tratamentos de última geração contra o Sars-CoV-2 e outros vírus que possam causar pandemias futuras. O projeto foi intitulado Antiviral Program for Pandemics (Programa Antiviral para Pandemias). Na página oficial do programa, não há qualquer menção à ivermectina ou à cloroquina. 


“[Joe Biden está] culpando a China pela pandemia!”
Texto em post que circula pelo Facebook que, até as 13h20 de 21 de junho de 2021, tinha sido compartilhado mais de 830 vezes

FALSO

Em maio deste ano, Biden instruiu a agência de inteligência dos Estados Unidos a redobrar seus esforços na investigação das origens da pandemia da Covid-19. Essa decisão, no entanto, não significa que o presidente norte-americano passou a “culpar a China” pela crise sanitária mundial. Na verdade, o anúncio foi feito depois que um documento da inteligência dos EUA relatou que vários pesquisadores do Wuhan Institute of Virology adoeceram e foram hospitalizados em novembro de 2019. Esse detalhe reacendeu os debates sobre as origens do novo coronavírus. Em resposta a essa investigação, a China também pediu que fossem feitas investigações em laboratórios biológicos americanos.

Durante sua gestão, Biden criticou o governo chinês por “abusos dos direitos humanos” e práticas comerciais. Uma das principais falas nesse sentido foi feita durante a reunião da cúpula do G7, na última terça-feira (15). Contudo, até o momento, as investigações sobre o suposto vazamento no laboratório de Wuhan não foram concluídas, e Biden não apontou a China como culpada pela pandemia.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo