A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Foto: Tribunal Superior Eleitoral
Foto: Tribunal Superior Eleitoral

#Verificamos: É falso que IME e ITA ofereceram protótipo de urna eletrônica com voto impresso para o TSE

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
23.jun.2021 | 18h47 |

Circula pelas redes sociais que o Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA) e o Instituto Militar de Engenharia (IME) teriam entrado em contato com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e se oferecido para fazer um protótipo de uma urna eletrônica que fosse capaz de imprimir o voto do eleitor. O TSE, por sua vez, teria recusado. Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:

“O Instituto Tecnológico da Aeronáutica se ofereceu para fazer um protótipo das urnas eletrônicas com voto impresso. O Instituto de engenharia militar também se ofereceu ao TSE para que produzissem esse protótipo de voto impresso nas urnas eletrônicas. Eles não aceitaram, eles recusaram ajuda dos institutos. Sem motivo aparente”
Vídeo que circula pelo WhatsApp

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. As assessorias de imprensa do Exército, responsável pelo Instituto Militar de Engenharia (IME), e da Força Aérea Brasileira, responsável pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), informaram que não desenvolveram nenhuma urna eletrônica capaz de imprimir o voto do eleitor. Em ambos os casos, os institutos disseram que não existe um estudo ou projeto para desenvolver esse equipamento atualmente. 

O boato verificado pela Lupa é antigo e já havia sido desmentido pelo TSE em 2018. Ele voltou a circular após a Câmara dos Deputados voltar a discutir a PEC 135/2019, que prevê que as urnas eletrônicas passem a imprimir o voto nas eleições brasileiras. Os congressistas a favor da proposta indicam que essa seria uma forma de ter urnas auditáveis, porém o TSE já sinalizou que terá problemas para implementar essa proposta nas eleições de 2022, caso seja aprovada. 

Essa informação falsa foi desmentida pelo UOL Confere.

Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco pelo número +55 21 99193-3751.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo