Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: Vídeo que circula nas redes distorce fala de Omar Aziz para sugerir que ele é ‘contra’ investigar corrupção

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
06.jul.2021 | 15h03 |

Circula pelo WhatsApp um vídeo em que o senador Omar Aziz (PSD-AM), presidente da CPI da Covid-19, afirma que a comissão não quer aprofundar investigações sobre desvios de recursos. Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:

“Nós não queremos aprofundar investigação sobre desvio de recursos, sobre corrupção”
Fala do senador Omar Aziz (PSD-AM) em vídeo que circula em grupos de WhatsApp

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O vídeo foi editado para sugerir que o presidente da CPI não gostaria de investigar casos de corrupção, mas, na verdade, sua fala original tem o sentido oposto. Um trecho da fala, no qual ele parafraseava o senador Eduardo Girão (Podemos-CE), foi retirado de contexto e apresentada como sua opinião.

No dia 9 de junho, a CPI da Covid-19 votava requerimentos de convocação e quebra de sigilo protocolados pelos parlamentares. Entre eles estava um pedido de Girão para convocar o diretor-geral da Polícia Federal, delegado Paulo Maiurino, para prestar depoimento à comissão.

Aziz interrompeu a leitura do requerimento para explicar que Girão havia encaminhado o pedido no dia anterior e que havia solicitado a votação do texto “o mais rápido possível”.

O pedido de Girão gerou um debate entre os parlamentares presentes à comissão. Fernando Bezerra (MDB-PE), líder do governo no Senado, questionou se a convocação de Maiurino não seria “inconveniente” ou “inoportuna”. Anteriormente, a comissão já havia chegado ao entendimento de que pessoas que precisam manter informações em sigilo em razão de suas funções não poderiam ser convocadas à CPI, o que seria o caso do diretor-geral da PF.

Diante da discussão, o presidente da comissão retoma o microfone para justificar, em tom de crítica, o motivo pelo qual decidiu pautar o pedido de Girão. É nesse momento que a fala de Aziz é cortada para distorcer seu conteúdo. “Todas as vezes que o senador Eduardo Girão [fala] — e não é uma vez, é todas as sessões —, ele fala no discurso que nós não queremos aprofundar investigação sobre desvios de recursos, sobre corrupção, tá certo? Sempre ele faz esse discurso e fica aqui parecendo que eu quero proteger alguém. E eu não estou aqui para proteger ninguém. Então, baseado nos discursos, quem tinha que questioná-lo… No momento que ele levanta para falar, todo mundo fica quieto. Daí quando a gente bota para votar, aí o pessoal vem questionar”, disse Aziz.

Depois de uma longa discussão, o requerimento do senador Girão foi rejeitado. Na sequência, a comissão ouviu o ex-secretário executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco. 

Outras declarações falsas ou distorcidas ligadas à CPI da Covid-19 já foram verificadas pela Lupa. A senadora Simone Tebet (MDB-MS) não afirmou que prefeitos e senadores corruptos não devem ser investigados pela comissão. O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello não chamou o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) de “gazela”. E o senador Girão não pediu que a CPI ouça cientistas que são “contra a ciência”.

Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco pelo número +55 21 99193-3751.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo