A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Foto: Foto: Roberto Parizotti/FotosPublicas
Foto: Foto: Roberto Parizotti/FotosPublicas

#Verificamos: ICMS representa 28% do preço da gasolina; imposto federal não foi zerado

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
20.jul.2021 | 20h35 |

Circula pelas redes sociais uma mensagem que pede que governadores retirem os 46% de ICMS que supostamente cobrariam sobre a gasolina — assim, seu preço poderia cair de R$ 6 para R$ 3,24 nas bombas. Além disso, o texto diz que o combustível é isento de impostos federais. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“A gasolina tá 6 reais. Se seu GOVERNADOR tirar o ICMS de 46% (…)  a gasolina será R$ 3,24!!! Cobre dele então!!”
Texto em imagem que, até 18h de 20 de julho de 2021, havia sido visualizada por mais de 360 mil usuários no Facebook

EXAGERADO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), tributo estadual, representa cerca de 28% do preço da gasolina. O valor de 46% citado na mensagem é próximo ao total de impostos cobrados neste combustível, especificamente, e inclui, ao contrário do que a mensagem diz, impostos federais.

De acordo com o relatório mais recente da Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia, de novembro de 2020, a tributação estadual representaria, em média, 28,3% da composição do preço da gasolina ao consumidor. Outros 15,5% seriam de tributos federais. Ou seja, somando todos tributos, a alíquota média é de 43,8%. 

Um levantamento da Petrobras, mais recente, realizado no início de julho, traz dados semelhantes. O ICMS representaria 28,7% do preço da gasolina, enquanto impostos federais seriam de 11,9%.

O valor do ICMS em cada estado depende de um cálculo que envolve uma alíquota fixa e o preço médio ponderado ao consumidor final (PMPF) — ambos fixados pelos estados. As alíquotas de ICMS variam de 25% a 34%, mas o imposto estadual não incide sobre o preço pago na bomba, e, sim, sobre o PMPF, um valor virtual fixo que representaria o preço do litro médio nos postos.

Valor em reais

Segundo dados de julho da Federação Nacional do Comércio de Combustíveis e de Lubrificantes (Fecombustíveis), sobre cada litro de gasolina comum incide um valor médio de ICMS de R$ 1,622 — abaixo dos R$ 2,76 sugeridos pela mensagem que circula pelas redes sociais. O valor varia de estado para estado, uma vez que as alíquotas e o PMPF do combustível são diferentes em cada parte do país.

Amapá (R$ 1,260), Santa Catarina (R$ 1,264) e São Paulo (R$ 1,356) são os estados com as menores cobranças de ICMS sobre a gasolina comum, aponta a Fecombustíveis. Na outra ponta, em Minas Gerais (R$ 1,881), Piauí (R$ 1,896) e Rio de Janeiro (R$ 2,136) o imposto representa um valor mais alto do custo total. Veja os dados completos, por estado, aqui.

O preço da gasolina, como diz a mensagem, se aproxima dos R$ 6, apontam dados compilados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) — e já até mesmo ultrapassa esse valor, em algumas localidades. De acordo com o último levantamento, realizado entre 11 e 17 de julho em 4.409 postos pelo país, o preço médio da gasolina comum atingiu R$ 5,831 por litro. Em alguns postos, o combustível já é comercializado a R$ 6,990.


“E já que o imposto federal [sobre a gasolina] é ZERO”
Texto em imagem que, até 18h de 20 de julho de 2021, havia sido visualizada por mais de 360 mil usuários no Facebook

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Em março, o presidente Jair Bolsonaro editou um decreto e uma medida provisória para zerar as alíquotas de tributos sobre a comercialização e a importação do óleo diesel. A medida não se estendeu à gasolina, como afirma a mensagem, e valeu apenas para os meses de março e abril. 

Os impostos federais que incidem sobre a gasolina são a Cide, Pis/Pasep e Cofins. Ao contrário do ICMS, que representa um percentual do preço do produto, esses impostos tem um valor fixo em real válido para todo o país. Somadas, elas representam R$ 0,6968 por litro de gasolina. O valor varia de acordo com o combustível — o diesel é isento de Cide desde 2018, por decisão do então presidente Michel Temer (MDB).

Desde fevereiro de 2020, o presidente tem atribuído publicamente aos governadores a alta no preço dos combustíveis. No domingo (18), na saída do hospital em São Paulo onde estava internado, em mais um episódio, Bolsonaro disse que “cresceu a arrecadação de ICMS em cima de uma ganância”.

No entanto, especialistas avaliam que outros fatores como a cotação internacional do petróleo e valorização do dólar, e não o aumento do ICMS, são os causadores da alta dos combustíveis. Desde 2016, a Petrobras segue uma política de preços que acompanha o valor internacional do petróleo e seus derivados, o que permite à estatal o anúncio de reajustes de preço em suas refinarias a qualquer momento.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo