Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: É sátira foto em que ‘Braço forte, mão leve’ aparece escrito em caminhão do Exército

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
23.jul.2021 | 17h45 |

Circula pelas redes sociais a foto de um caminhão do Exército em que aparece escrita a frase “Braço forte, mão leve”, diferente do tradicional slogan da instituição. Pessoas trajadas como militares andam ao lado do caminhão. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Exército brasileiro
Braço forte, mão leve”
Texto em imagem que, até 17h do dia 23 de julho de 2021, havia sido compartilhada 183 vezes no Facebook

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. A imagem original, de 2016, foi editada para que a palavra “leve” aparecesse no lugar de “amiga” no tradicional slogan do Exército Brasileiro. A sátira surge em meio a suspeitas de corrupção na negociação de vacinas envolvendo militares que integram o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

A imagem editada foi inicialmente publicada no Twitter pelo perfil “Memecrata”, que divulga conteúdos satíricos de teor contrário ao governo federal, em 21 de julho de 2021. Depois disso, passou a ser replicada em outras redes, sem deixar claro que se tratava de uma sátira – as referências ao perfil no Twitter foram removidas.

A foto original, no entanto, é de 27 de junho de 2016 e está disponível no site do Exército. Naquela data, a 8ª Região Militar, sediada em Belém, capital paraense, recebia uma visita de orientação técnica do general Carlos dos Santos Sardinha (que aparece na foto à esquerda), então chefe do Gabinete de Planejamento e Gestão do Comando Logístico, informa o texto do Exército. Em março de 2018, Sardinha foi transferido para a reserva.


Foto: Divulgação/Exército Brasileiro

O site do Exército não indica o ano de publicação do texto, mas uma análise de metadados da foto aponta que a cena foi registrada às 14h09 de 27 de junho de 2016.

A sátira faz referência ao tradicional slogan “Braço forte, mão amiga” da instituição. Um texto publicado no blog oficial do Exército afirma que a frase foi criada na década de 1990 pelo coronel Francisco Roselio Brasil Ribeiro. “Braço forte” pela atuação “na dissuasão de inúmeros conflitos”, “na garantia da soberania nacional, dos poderes constitucionais, da lei e da ordem” e “na salvaguarda dos interesses da Pátria”. “Mão amiga”, ainda segundo o texto, porque age “em prol do desenvolvimento do País”, “no cumprimento de missões de manutenção da paz”, “no estímulo à cultura e aos desportos”, entre outros.

Suspeitas de corrupção

De acordo com o dicionário Michaelis, “mão-leve” é alguém que furta, especialmente de maneira dissimulada. A imagem satírica surge em um contexto de suspeitas de envolvimento de militares em casos de corrupção na compra de vacinas contra a Covid-19.

Entre os casos em que as investigações respingam nas Forças Armadas está a da tentativa de venda da vacina indiana Covaxin ao Ministério da Saúde por meio de uma empresa intermediária, a Precisa Medicamentos. A CPI da Pandemia do Senado Federal apura supostas pressões do governo para a liberação do imunizante, além de possíveis irregularidades no contrato de compra, que também estão sob análise da Controladoria-Geral da União

Militares também estão envolvidos no caso da suposta negociação de 400 milhões de doses da vacina AstraZeneca por meio da também intermediária Davati Medical Supply, que teria envolvido a cobrança de propina de US$ 1 por dose.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo