Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: Jornalista da CNN não chamou de ‘pacífico’ incêndio de estátua de Borba Gato

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
26.jul.2021 | 17h23 |

Circula pelas redes sociais que a jornalista Daniela Lima, apresentadora da CNN Brasil, teria dito que o incêndio da estátua de Borba Gato, em São Paulo, foi um ato “pacífico”, ressaltando que “todos estavam de máscara”. O episódio ocorreu no sábado (24), durante os protestos contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na capital paulista. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“‘Foi um incêndio pacífico e todos estavam de máscara’ diz jornalista da CNN a respeito do incêndio na estátua de Borba Gato”
Reprodução de tuíte que, até 16h30 do dia 26 de julho de 2021, havia sido visualizado por mais de 11,6 mil usuários no Instagram

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. A jornalista Daniela Lima jamais deu a declaração atribuída a ela nas postagens que circulam pelas redes sociais. O conteúdo foi inicialmente publicado em um perfil do Twitter que se dizia humorístico e imitava o portal G1, mas passou a ser replicado sem a indicação dessa origem. A conta foi renomeada depois desse episódio e também teve a foto de perfil trocada.

No sábado (24), dia em que uma estátua do bandeirante Manuel de Borba Gato foi incendiada na cidade de São Paulo, o perfil @g1memes publicou a frase falsa junto a uma foto de Daniela Lima. Até aquele momento, a página usava o nome “G1” e uma imagem de perfil idêntica à do portal de notícias do Grupo Globo. O termo “memes” como parte do nome de usuário do Twitter era o único indicativo de que se tratava de um conteúdo humorístico, o que levou vários internautas desatentos a acreditarem na postagem. A partir da publicação original, reproduções do tuíte passaram a circular por outras redes, sem levarem sequer a identificação “@g1memes”.

Daniela Lima não participou da cobertura do noticiário no sábado. No domingo (25), a jornalista chamou o post de “desserviço e desrespeito”. “Falsear, dar a pior interpretação possível, editar coisas que eu disse, já tinha visto. Inventar algo que nunca foi dito por mim, quando eu estava em casa, com minha família… Inédito. Disfarçada de piada, a extrema direita avança sobre limites nunca vistos. Não ficará impune”, escreveu, em seu perfil no Twitter. Lima também divulgou algumas ameaças que recebeu após a publicação da página de memes.

Depois das reclamações da jornalista quanto ao uso enganoso da logomarca do portal G1 e da falta de ação do Twitter para coibir os ataques, a página trocou o usuário para @g11memes, alterou o nome para “G1.1 Memes” e mudou a logomarca — ainda muito parecida com a do portal de notícias. A postagem segue no ar e somava quase 3,2 mil curtidas até as 17h desta segunda-feira (26).

Essa informação também foi analisada por Estadão Verifica e Aos Fatos.

Borba Gato

No sábado, uma estátua em homenagem a Borba Gato, instalada em uma praça no distrito de Santo Amaro, na capital paulista, foi incendiada por manifestantes. O grupo Revolução Periférica assumiu a autoria do protesto.

O monumento é controverso porque, segundo historiadores, muitos bandeirantes como Borba Gato capturaram e escravizaram indígenas e negros ao longo do processo de desbravamento do interior do país. De acordo com o livro “Vida e Morte do Bandeirante”, de Alcântara Machado, o grupo também tinha como prática o estupro e o tráfico de mulheres indígenas.

No domingo, a Polícia Civil prendeu um homem suspeito de participação no ato. Ele teria conduzido o caminhão que transportou os pneus usados para alimentar o fogo. Cerca de 12 horas depois, a justiça determinou a soltura do suspeito por entender que não houve violência ou grave ameaça no caso.

Nesta segunda-feira (26), o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB) lamentou o episódio e informou que um empresário se propôs a doar o valor necessário para restaurar o monumento.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo