Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: Vídeo de execução de mulher é antigo e não foi gravado no Afeganistão

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
18.ago.2021 | 18h10 |

Circula pelas redes sociais o vídeo de uma mulher sendo executada por um homem na rua, diante de uma pequena aglomeração de pessoas armadas. A legenda afirma que a gravação seria recente e mostraria o grupo extremista Talibã realizando um julgamento sumário no Afeganistão, após a tomada do poder naquele país. Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:

“Afeganistão após a tomada pelo Talibã. Julgamento sumário de uma mulher. Infelizmente isso não causa comoção mundial. Se fosse a derrubada de uma arvore da Amazônia, a ONU e os lacradores estariam viralizando e acusando o governo”
Legenda de vídeo que circula pelo WhatsApp

FALSO

O vídeo analisado pela Lupa é antigo e não mostra uma execução ocorrida no Afeganistão. Na realidade, as imagens são de novembro de 2015 e registram o assassinato de uma mulher na Síria. O site da ONG Instituto de Pesquisa de Mídia do Oriente Médio (Middle East Media Research Institute, ou Memri, na sigla em inglês) afirma que ela teria sido acusada de prostituição. Reportagens publicadas na época indicam que a execução teria ocorrido a mando de membros da Al-Qaeda

Embora esse vídeo que circula pelas redes sociais seja antigo, relatos indicam que uma mulher teria sido morta no início de agosto pelo Talibã. A vítima, de 21 anos, teria sido atacada por usar roupas justas e por estar desacompanhada de uma figura masculina. 

No último domingo (15), militantes do Talibã conseguiram tomar a capital do Afeganistão. Muitos moradores tentam deixar o país, com medo de possíveis restrições que o grupo decida impor. Na terça-feira (17), o Talibã fez um apelo para a população voltar a sua rotina, prometendo que as restrições contra mulheres, por exemplo, não serão tão severas. Pelo menos três pessoas foram mortas e 12 ficaram feridas, no entanto, após realizarem um protesto contra o grupo na cidade de Jalalabad nesta quarta-feira (18).

Essa informação também foi verificada pelo Fato ou Fake.

Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco pelo número +55 21 99193-3751.

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo