Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: É falso que CDC retirou RT-PCR da lista de testes capazes de identificar a Covid-19

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
30.ago.2021 | 18h21 |

Circula pelas redes sociais que o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), agência do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, teria retirado o RT-PCR da lista de possíveis testes utilizados para detectar a Covid-19 em pacientes. O texto que tem sido compartilhado afirma que a decisão teria ocorrido porque esse teste não seria capaz de diferenciar o vírus Sars-CoV-2 daquele que causa a influenza (gripe). Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:

“O CDC dos EUA retira o teste de PCR devido a ele não ser capaz de distinguir a Covid dos vírus da gripe”
Texto em imagem que circula pelo WhatsApp

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O CDC não indicou que o teste RT-PCR não é adequado para confirmar casos de Covid-19, muito menos removeu esse método de detecção do SARS-CoV-2 da sua lista. Posts semelhantes, dizendo que o teste também seria capaz de identificar outros vírus e que, por isso, muitas pessoas receberiam um “falso positivo”, circulam desde o ano passado e já foram desmentidos.

Em seu site, o CDC traz uma lista de possíveis testes que podem ser utilizados por profissionais de saúde para confirmar casos de Covid-19. Entre eles, estão os NAATs (Testes de Amplificação de Ácidos Nucléicos, em português), que incluem o RT-PCR. Nesse exame, um cotonete longo, ou swab, é introduzido no nariz do paciente, atingindo a orofaringe. Lá, são coletadas amostras de secreções do aparelho respiratório. A partir desse material, é possível detectar a presença do RNA do novo coronavírus em laboratório, identificando se o paciente está infectado.

Desde o início da pandemia, o CDC indica o uso do RT-PCR para detectar infecções pela doença. Segundo a agência, esse teste preencheu “uma lacuna em um momento em que não havia nenhuma outra forma de diagnóstico de Covid-19 autorizada pela FDA”, a agência reguladora de medicamentos dos Estados Unidos. O centro afirma, no entanto, que a demanda por este tipo de testagem diminuiu com o surgimento de outros métodos

Atualmente, o CDC está incentivando as unidades de saúde norte-americanas a utilizarem o teste “Multiplex CDC Influenza SARS-CoV-2 (Flu SC2)”. Esse método consegue detectar e diferenciar três tipos de vírus: Sars-CoV-2, influenza A e influenza B. Por isso, os laboratórios conseguem processar mais testes em um determinado período de tempo, o que é uma vantagem, indica o CDC.

Essa informação também foi verificada pelo Fato ou Fake

Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco pelo número +55 21 99193-3751.

O mesmo conteúdo foi sugerido por integrantes do projeto Covid, eu informo, em que rádios universitárias e comunitárias têm acesso gratuito ao conteúdo da Lupa sobre temas relativos à pandemia. 

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo