Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: É falso que 80% das urnas eletrônicas do Brasil ‘estão fraudadas’

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
10.set.2021 | 16h18 |

Circula pelas redes sociais um vídeo em que o cantor Eduardo Costa afirma que 80% das urnas no Brasil são fraudadas. Ele diz ainda que, se o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não vencer as próximas eleições, vai acontecer uma guerra civil no país. “Vocês estão roubando o povo na cara dura”, afirmou. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa​:

“80% das urnas no Brasil estão fraudadas”
Vídeo publicado no Facebook que, até às 19h horas do dia 8 de setembro foi visualizado 2,4 mil vezes

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), nenhuma fraude foi comprovada em 24 anos de uso do equipamento. Além disso, a Polícia Federal não encontrou registros de investigações sobre fraudes que comprometessem o sistema desde que começou a ser usado. O vídeo de Eduardo Costa foi publicado em outubro de 2018, quando o cantor fez a gravação em referência ao processo eleitoral daquele ano. A gravação voltou a circular após as manifestações de 7 de setembro.

O TSE informa que mais de dez auditorias acontecem durante o processo eleitoral. Muitas delas permitem a participação de partidos políticos, candidatos, cidadãos, do Ministério Público e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Mais de 30 camadas de segurança são utilizadas no aparelho. 

Um dos dispositivos que impedem a fraude nas urnas é a auditoria de verificação da autenticidade e integridade dos sistemas, um procedimento que qualquer partido ou cidadão pode acompanhar. O processo acontece antes da votação oficial. Seções eleitorais são sorteadas em audiência pública e as assinaturas digitais do sistema são conferidas. A assinatura deve conferir com a definida anteriormente em cerimônia pública no TSE.

Outro procedimento é a chamada “votação paralela”, em que uma votação simulada acontece ao mesmo tempo em que a real, usando urnas sorteadas aleatoriamente em todo o país. Nesse caso, cada voto é registrado na urna e em uma cédula de papel e os resultados são comparados. Os relatórios finais são disponibilizados no site do TSE.

Ainda são realizados testes públicos de segurança (TPS), em que as urnas são colocadas à prova para que cidadãos que queiram tentar violar as barreiras de segurança do processo de votação. Os investigadores interessados podem se inscrever nos editais do TSE e participar de um dos testes. Além disso, a urna não tem qualquer acesso à internet, o que impede uma invasão online antes, durante ou depois das eleições. 

Ao final da votação, as urnas eletrônicas emitem um relatório com os votos contabilizados, os chamados boletins de urna. Eles podem ser usados para comparar os resultados e ficam disponíveis para consulta na web

Procurada, a assessoria de imprensa de Eduardo Costa informou que o cantor não tem interesse em se pronunciar sobre o assunto.

Checagem similar foi feita pelo Estadão Verifica.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo