Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: É falso que sobrinho de Lula foi preso no Mato Grosso com R$ 6 milhões

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
14.set.2021 | 11h32 |

Circula no WhatsApp a informação de que um sobrinho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi preso no município de Canarana, no Mato Grosso, com R$ 6 milhões. De acordo com a publicação — um print de um post no Facebook —, a delegacia da cidade estaria cercada porque a população ameaçou invadir o local. O post é acompanhado de duas fotos, que teriam sido tiradas nessa delegacia. A primeira delas mostra dois homens (ao centro) escoltados por policiais. A segunda imagem, logo abaixo, mostra o que parece ser uma sala da Polícia Civil onde vários policiais posam ao redor de uma mesa com cédulas de dinheiro. Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:

“Manda pra todo mundo que connhecer. Sobrinho do Lula foi preso em Canarana/MT com aproximadamente 6 milhões de reais e disse para a Polícia que era do tio Lula e foi para comprar uma fazenda.
A delegacia está cercada à 200 mts pq a população ameaça invadir a delegacia, a força nacional já foi deslocada para o local para ajudar na segurança.”

Texto de mensagem compartilhada em grupos de WhatsApp

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Não há qualquer registro de que algum sobrinho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tenha sido preso recentemente no Mato Grosso. A peça de desinformação é baseada em um conteúdo falso antigo, que circulou pela primeira vez em 2015, e que associava a prisão de um suspeito de tráfico internacional de drogas ao petista. Essa publicação foi desmentida na época

Em abril de 2015, a Polícia Civil de Canarana prendeu José Silvan de Melo, conhecido como “Abençoado”, acusado de tráfico. Na ocasião, Melo carregava R$ 3,2 milhões — e não R$ 6 milhões — na carroceria de uma caminhonete. A foto do dinheiro apreendido é a mesma que aparece no post (segunda foto) e foi publicada também no site da Polícia Civil mato-grossense.  

A notícia da prisão de “Abençoado” viralizou nas redes sociais na época com a informação falsa de que o suspeito era sobrinho do ex-presidente. O Instituto Lula negou que o homem preso tivesse qualquer relação familiar com o petista. As informações publicadas pela Polícia Civil também não mencionaram qualquer relação de parentesco.

Além disso, a foto que mostra dois homens escoltados pela polícia, acima da imagem com o dinheiro apreendido no Mato Grosso, não tem qualquer relação com o caso. A cena foi registrada em abril de 2015 na cidade de Curitiba (PR), e não em Canarana, após a execução da 11ª etapa da Operação Lava Jato. Os detidos são os ex-deputados Luiz Argôlo (Solidariedade-BA) e André Vargas (sem partido), que na ocasião aparecem saindo do Instituto Médico Legal (IML) da capital paranaense, onde fizeram exames de corpo de delito. Não há qualquer relação de parentesco deles com Lula.

Esse conteúdo também foi verificado pelo Boatos.org e Aos Fatos.

Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco pelo número +55 21 99193-3751.

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo