Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: Paolla Oliveira não disse que atrizes da Globo terão que se prostituir se Bolsonaro for reeleito

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
16.set.2021 | 15h50 |

Circula nas redes sociais uma imagem cuja legenda diz que a atriz Paolla Oliveira afirmou que a prostituição será a única forma de sobrevivência das atrizes da Rede Globo se o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) for reeleito. Outra versão, disseminada na forma de print, alega que a frase foi extraída de uma entrevista para a revista Caras e informa que o clima na emissora estaria tenso. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:
“Paolla Oliveira diz que a prostituição será a única forma de sobrevivência das atrizes da Globo caso Bolsonaro seja reeleito”
Publicação no Facebook que, até as  14h do dia 16 de setembro, tinha sido compartilhada por 239 pessoas

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Não há qualquer entrevista ou reportagem em que Paolla Oliveira tenha afirmado que a reeleição de Bolsonaro obrigaria atrizes da Globo a trabalhar com prostituição. Em publicações nos seus perfis oficiais no Instagram e no Twitter, Paolla afirmou que se trata de uma mentira. “Primeiro que você nunca vai encontrar essa declaração minha falando sobre esse assunto, porque eu simplesmente nunca diria isso, envolvendo uma empresa, outras colegas e profissionais, inclusive. Não tem sentido. Pode jogar palavra por palavra no Google e não encontrará NADA, além da mentira plantada”, escreveu.

A atriz também disse que a desinformação é uma tentativa de intimidar quem se opõe ao governo Bolsonaro – no dia 7 de setembro ela se posicionou contra o presidente no Twitter. Paolla afirmou ainda que a prostituição não deveria ser usada para atacar alguém. “Eu tenho muito respeito por todas as mulheres, elas estejam desempenhando a função que for, por necessidade ou por vontade. Combato a opressão, o abuso infantil, a exploração da mulher, o machismo, o sexismo, a misoginia, mas JAMAIS julgarei alguém por suas decisões”, disse.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Paolla Oliveira (@paollaoliveirareal)

A outra versão da mesma peça de desinformação – que aponta que a suposta frase de Paolla Oliveira teria sido dada em entrevista à Caras – também foi desmentida pela revista. Não há nenhum texto publicado pelo veículo em que a atriz tenha dito a frase que circula pelas redes sociais. “A verdade é que Paolla nunca deu tal entrevista à Caras, que completa em novembro próximo 29 anos de publicação no Brasil, sendo considerada um veículo de comunicação com credibilidade o suficiente para ser aceito e querido por leitores e pelas personalidades do País e do exterior”, informa a revista.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

 

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo