Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: É falso que Lula seja dono de fazenda de ‘40 quilômetros’ com 800 mil cabeças de gado

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
17.set.2021 | 17h57 |

Circula no WhatsApp um vídeo que mostra dois homens percorrendo de carro uma estrada de terra supostamente localizada dentro de uma fazenda chamada Santa Bárbara. Na gravação, os narradores afirmam que a propriedade tem 40 quilômetros “a perder de vista” e pertence ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Ao longo de 2 minutos, os autores mostram que conseguem andar a uma velocidade de 100 quilômetros por hora dentro da área da propriedade — não há informação da cidade ou do estado onde fica a lugar. Eles também afirmam que no local existem mais de 100 mil cabeças de gado. 

A mensagem compartilhada com o vídeo diz que “uma família” é dona dessa propriedade, supostamente comprada com “dinheiro da corrupção”, e de outras 30 fazendas, além de ser dona de 800 mil cabeças de gado no total. Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:

“(…) Olha, estamos a 100 [quilômetros] por hora na estrada de terra dentro da fazenda do Lula, 40 quilômetros de fazenda dos dois lados. Tudo que enxerga faz parte da [fazenda] Santa Barbara. (…) Toda fazenda com gado, tem mais de 100 mil cabeças (…)”.

Conteúdo de vídeo que circula em grupos de WhatsApp

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Na declaração de bens mais recente do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), publicada em 2018 no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), não consta nenhuma fazenda, tampouco 100 mil ou mesmo 800 mil cabeças de gado como propriedade do político. As investigações da Operação Lava Jato conduzidas pela Polícia Federal também não localizaram nenhum bem desse tipo com o nome do político ou de seus familiares. 

Dentre os imóveis que estão no nome do petista constam três terrenos localizados no distrito de Riacho Grande, região rural de São Bernardo do Campo (SP). A assessoria de imprensa de Lula informou que as três escrituras dizem respeito à área total da chácara Los Fubangos, comprada nos inícios dos anos 1990 pela família. De acordo com as informações disponíveis no TSE, a primeira parte da chácara foi comprada em 1992 e as outras duas, em 2016. As informações sobre esses terrenos, juntamente com três apartamentos e outros bens do político, foram tornados públicos em 2018

Em nota, a assessoria de comunicação de Lula também informou que nenhum filho do ex-presidente é dono de propriedade rural ou fazenda. “Lula e seus filhos já tiveram todos os seus sigilos quebrados e não são proprietários de nenhuma fazenda ou cabeça de gado”, informou, via WhatsApp.

Existem diversas fazendas pelo Brasil que levam o nome Santa Bárbara e não é possível saber a qual delas os narradores do vídeo se referem. Além disso, uma das maiores empresas de pecuária no Brasil, de propriedade do banqueiro Daniel Dantas, se chamava, até recentemente, Agropecuária Santa Bárbara Xinguara. Hoje, a empresa mudou de nome para AgroSB. Essa companhia é proprietária de quatro grandes fazendas de gado no estado do Pará. Procurada pela Lupa, a assessoria de comunicação da AgroSB informou que as imagens que aparecem no vídeo não são de nenhuma propriedade da empresa.

Ao fazer uma busca reversa da gravação, não é possível identificar a localização exata da propriedade mostrada. No entanto, uma imagem aérea da chácara Los Fubangos do ex-presidente em Riacho Grande, publicada em 2019 pelo jornal Folha de S.Paulo, mostra que a propriedade é próxima a uma represa e não tem pasto, ou seja, não tem espaço para criação de gado. Diferentemente do que mostra o vídeo, não há uma estrada cortando o local. 

Sítio Santa Bárbara

Em 2016, um sítio chamado Santa Bárbara, na cidade de Atibaia, em São Paulo, passou a ser alvo de investigação da Operação Lava Jato. Na ocasião, a Polícia Federal acusou Lula de receber propinas no valor de R$ 1 milhão das empreiteiras OAS, Odebrecht e Schahin para reformar o lugar. Em 2019, o político, que na época já estava preso em Curitiba, foi condenado a 12 anos e 11 meses por corrupção e lavagem de dinheiro no processo sobre o sítio — o imóvel se popularizou na imprensa como “sítio de Atibaia”. Em agosto de 2021, a Justiça Federal rejeitou a denúncia sobre o caso, por considerar que não havia provas suficientes.

Desde essa época, boatos sobre fazendas de mesmo nome citam o petista e sua família como proprietários. O vídeo que circula atualmente em correntes de WhatsApp, por exemplo, foi publicado pela primeira vez em 2017, depois em 2018 e foi desmentido na época

Um conteúdo similar, associando um dos filhos do ex-presidente, Fábio Luís Lula da Silva, conhecido como “Lulinha”, viralizou em 2008 e, depois, em 2019, sugerindo que ele teria comprado a “maior fazenda do mundo”, além de ser dono de várias outras. O negócio teria sido feito com a AgroSB. Essa informação foi desmentida pela empresa. 

Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco pelo número +55 21 99193-3751.

Editado por: Maurício Moraes e Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo