Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: É falso que 7 de setembro fará plenário da Câmara reanalisar PEC do voto impresso

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
21.set.2021 | 18h35 |

Circula pelas redes sociais um vídeo em que o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirma que levará o debate sobre o voto impresso ao plenário da Casa. A legenda da publicação diz que isso aconteceu “graças às manifestações do 7 de setembro”. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“O sistema tomou uma invertida, o voto impresso vai ao plenário (…) Graças às manifestações do 07 de setembro”
Texto em vídeo e legenda de post publicado no Facebook que, até 16h do dia 21 de setembro de 2021, havia sido compartilhado por 1,2 mil pessoas

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O vídeo em que o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, afirma que vai levar “a questão do voto impresso para o plenário” foi gravado em 6 de agosto deste ano, um mês antes dos atos bolsonaristas do 7 de setembro. Na ocasião, ele anunciou que pautaria a análise da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 135/19, que estabelecia a obrigatoriedade de expedição de cédulas físicas conferíveis pelo eleitor no ato da votação – a iniciativa ficou conhecida como “PEC do voto impresso”. A gravação com a fala de Lira, portanto, é antiga, e foi tirada do seu contexto original pela peça de desinformação.

Proposta pela deputada federal Bia Kicis (PSL-DF), a medida tinha apoio do governo federal. A Comissão Especial onde tramitava, contudo, recomendou sua rejeição por 22 votos a 11. Isso bastaria para que o projeto fosse arquivado. Ainda assim, sob pressão de Bolsonaro e de seus apoiadores, Lira decidiu pautar a matéria para que também fosse analisada por todos os parlamentares, o que acabou ocorrendo em 10 de agosto. 

Naquela data, a PEC foi rejeitada pelos deputados no plenário da Câmara. Foram 229 votos favoráveis, 218 contrários e uma abstenção – ou seja, não foram atingidos os 308 votos necessários para que a proposta seguisse para o Senado. Com o resultado, a iniciativa foi arquivada. De 8 a 21 de setembro, nenhuma pauta relacionada ao voto impresso apareceu na agenda da Câmara. Em pronunciamento gravado em 8 de setembro, Lira afirmou que o debate sobre esse assunto estava superado e que não admitiria questionamentos.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo