Tem certeza que deseja sair da sua conta?
Foto: Carlos Bassan
Foto: Carlos Bassan

Lupa se alia à Sociedade Brasileira de Infectologia em campanha pela vacinação

| Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
29.set.2021 | 11h39 |

A Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) lançou nesta quarta-feira (29) o “Movimento Vacinação” — uma campanha para prevenir doenças e salvar vidas. O objetivo é, ao longo dos próximos meses, conscientizar a população sobre a importância das vacinas em todas as fases da vida e incentivar a ampliação da cobertura vacinal no país. De acordo com dados do Ministério da Saúde, desde 2015, metade das vacinas disponíveis no calendário infantil não atinge as metas de cobertura previstas Desde 2015, 50% das vacinas do calendário infantil não atingiram as metas de cobertura. Doses contra poliomielite, tríplice viral ou tetra viral, por exemplo, são algumas das que estão em queda. O fenômeno tem um agravante: uma cobertura vacinal baixa reintroduz doenças que até então estavam eliminadas, caso do sarampo.

A campanha conta com uma parceria com a Lupa para verificação da conteúdos enganosos sobre vacinas que circulam na internet e em redes sociais, auxiliando no rápido combate à desinformação sobre o tema. Os conteúdos estarão disponíveis tanto no site da Lupa, quanto no hotsite criado pela SBI  especialmente para agregar conteúdos explicativos sobre vacinas no site.  

“As pessoas precisam se vacinar para proteger a si mesmas, quem elas amam e demais pessoas ao redor, no trabalho, escola e em casa. No Brasil, há cinco anos as coberturas vacinais estão em queda. Isso é preocupante. Precisamos mudar esse cenário”, afirma o infectologista Clóvis Arns da Cunha, presidente da SBI. 

“A pandemia evidenciou que movimentos antivacina, baseados inteiramente em desinformação, tem ganhado força aqui no Brasil”, diz Chico Marés, coordenador de jornalismo da Lupa. “Nos Estados Unidos e em países da Europa, sobram vacinas contra Covid-19 porque uma parcela significativa da população tem medo de se vacinar. Não podemos deixar isso acontecer no Brasil. Precisamos estar sempre vigilantes contra a desinformação sobre esse tema.”

No Brasil, a maior parte das vacinas para bebês, crianças, gestantes, adultos e idosos está disponível na rede pública de saúde por meio do Programa Nacional de Imunizações (PNI). Mesmo assim, nos últimos anos, os índices de cobertura vacinal vêm caindo por uma percepção equivocada de uma parte da população de que não é preciso vacinar contra doenças até então controladas. 

Somado a isso, a propagação de notícias falsas circulando nas redes sociais e grupos de mensagens, também refletiu na queda dos índices de imunização no Brasil, o que é uma preocupação da SBI e motivou o movimento em prol da vacinação. “Vale lembrar que, durante a pandemia, esses índices caíram ainda mais”, explica a infectologista Rosana Richtmann, diretora do Comitê de Imunizações da Sociedade Brasileira de Infectologia. 

O objetivo é que esse seja um movimento em nome da saúde pública, contemplando a cada etapa todas as vacinas disponíveis no Brasil, incluindo todas as pessoas e das mais diferentes faixas etárias, já que a vacina é, literalmente, para todos. Por conta da pandemia da Covid-19, a cobertura vacinal ficou ainda mais comprometida por diversas razões e atualmente, com o retorno gradativo de atividades na economia, a SBI aproveitou para abordar esse tema, envolvendo desde profissionais de saúde, iniciativa privada, influenciadores e tantos outros apoiadores que vão reforçar a importância da vacinação como um dos meios mais efetivos de preservar a vida e nos proteger de doenças.

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo