A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: É falso que polícia francesa perseguiu mulher por entrar sem passaporte de vacina em shopping

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
07.out.2021 | 16h56 |

Circula pelas redes sociais o vídeo que mostra uma mulher sendo perseguida e brutalmente detida por vários policiais. De acordo com a legenda, trata-se de uma francesa que entrou em um shopping center e foi “caçada” por não ter o passaporte da vacina. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Traficante? Terrorista? Mulher-bomba? Não, a Polícia francesa correndo para CAÇAR uma francesa que entrou no shopping sem o passaporte da vacina. Entenderam onde vamos parar? Será que vai passar no Jornal Nacional e na Fátima Bernardes?”
Legenda de vídeo que, até 15h do dia 7 de outubro de 2021, havia sido visualizado por mais de 10,3 mil usuários no Instagram

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. A mulher não identificada participava de um ato em Paris, na França, contrário à imposição do passaporte da vacina, chamado de “passe de saúde”. Os policiais foram chamados para dispersar os manifestantes que entraram em um shopping center para protestar. Não há relação com a situação vacinal da mulher, já que o shopping em questão não exige o passe de saúde para entrada.

Em julho, o governo francês tornou obrigatório o passe de saúde para adultos. O documento informa se o indivíduo recebeu as duas doses da vacina contra a Covid-19, além de registrar dados sobre infecções e resultados de testes recentes. Sem ele, não é possível fazer várias atividades, como comer em um restaurante ou ir ao cinema, por exemplo.

A imposição do passe de saúde tem motivado uma série de manifestações em diversas cidades da França, que já chegaram à 12ª semana consecutiva. Foi nesse contexto que, em 4 de setembro, foram registradas as imagens da detenção da mulher no shopping de Paris. Naquela data, 150 mil pessoas se reuniram em 200 atos, segundo os organizadores. Na capital, 20 mil manifestantes teriam comparecido.

De acordo com o jornal francês Libération, dezenas de manifestantes que participavam de uma passeata tentaram entrar no centro comercial conectado à estação de metrô Châtelet-les Halles, na região central da cidade. Eles seguravam faixas e gritavam palavras de ordem contra o passe de saúde. Diante da dificuldade dos seguranças para impedir a entrada dos manifestantes, uma brigada foi chamada para retirá-los do local. Nesse grupo estava a mulher que aparece no vídeo verificado pela Lupa. A truculência dos policiais na sua detenção foi noticiada por outros veículos, como RT e Sputnik News.

O vídeo analisado foi publicado originalmente em 4 de setembro pelo jornalista Amar Taoualit no Twitter. Na legenda, ele diz que a cena mostra a Brav-M – uma divisão policial criada para atuar em protestos, que atua em motocicletas em Paris – agindo para dispersar manifestantes no “centro comercial Westfield” e fazendo prisões. O Westfield Forum des Halles, onde foi feito o registro, não exige a apresentação do passe de saúde para ingresso, informa o site do estabelecimento. O documento é necessário apenas para entrar no cinema ou em restaurantes do shopping.

Essa informação também foi verificada por Boatos.org e Fato ou Fake.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo