A PRIMEIRA AGÊNCIA DE FACT-CHECKING DO BRASIL

Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: É falso que lockdown contra Covid-19 causou desabastecimento em Carrefour na Bélgica

| Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
13.out.2021 | 20h11 |

Circula pelas redes sociais um vídeo de uma mulher sinalizando a falta de alimentos nas prateleiras de uma unidade do supermercado Carrefour em Bruxelas, na Bélgica. Na legenda, a publicação sugere que a escassez resulta das medidas de isolamento social impostas pelo governo do país para conter a pandemia da Covid-19. O texto diz ainda que isso não ocorreu no Brasil por causa das ações tomadas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa​:

“Olha o Carrefour em Bruxelas na Europa, país riquíssimo, não tem comida. ‘A economia a gente vê depois’. Agradeça, brasileiro, porque ainda que subiu um pouco os alimentos ainda tem para comprar. Viva o nosso Brasil. #BolsonaroTemRazao”

Legenda de vídeo publicado no Facebook que, até as 18h de 13 de outubro de 2021, tinha 177 compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. De fato, o vídeo retrata a falta de mercadorias em uma das filiais da rede Carrefour em Bruxelas. Contudo, de acordo com veículos locais, como The Brussels Times e Retail Detail, o desabastecimento nesta e em outras unidades da rede na Bélgica ocorreu após uma greve de funcionários do centro de distribuição responsável por abastecer os supermercados no país.

Iniciado no final de setembro, o movimento reivindicatório foi motivado porque o grupo Kuehne + Nagel – do qual o Carrefour é cliente – anunciou o fechamento do espaço em Nivelles, que fica na região da Valônia da Bélgica. A ação poderá gerar a demissão coletiva de 549 funcionários

Em contato com a Lupa por e-mail, a assessoria de imprensa do Carrefour Brasil confirmou a notícia. “O desabastecimento em uma unidade na Bélgica foi causado por uma greve de funcionários de um centro de distribuição, que não pertence ao Carrefour. As imagens não foram gravadas no Brasil”, reforçou. 

Além disso, não há como associar a falta de alimentos nas prateleiras com possíveis medidas de lockdown para conter a Covid-19, já que a Bélgica iniciou o relaxamento das restrições em maio deste ano – ou seja, há cerca de cinco meses. Isso ocorreu após uma acentuada queda dos casos do novo coronavírus, provocada pelo início da vacinação em massa da população. 

Atualmente, poucas ações de controle ainda seguem em vigor na região, como a necessidade de apresentação do Covid Safe Ticket (CST), uma espécie de passaporte de vacinação, para entrar em lojas, bares e restaurantes. Escritórios e escolas já estão abertos.

Nos últimos dias, o país vem relatando 2.100 novas infecções em média por dia, 12% do registrado no pico da doença – a maior média diária foi relatada em 30 de outubro de 2020, de acordo com a atualização em 13 de outubro de 2021 da Reuters, que rastreia dados da Covid-19 pelo mundo. Até o momento, 74% da população da Bélgica está completamente vacinada, o que representa 8.475.390 pessoas. 

Uma versão semelhante desse conteúdo foi desmentido pelo Estadão Verifica e Boatos.org

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo