Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: Vídeo de ‘protesto contra lockdown na Áustria’ é antigo e não tem relação com a pandemia

Repórter (especial para a Lupa) | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
19.nov.2021 | 17h08 |

Circula em correntes de WhatsApp um vídeo que mostra um suposto protesto realizado em uma cidade da Áustria. De acordo com o texto que aparece na gravação, essa manifestação aconteceu em novembro deste ano contra o novo lockdown decretado pelo governo austríaco para as pessoas que não tomaram a vacina contra a Covid-19. A edição tem 57 segundos e mostra uma multidão caminhando pela rua. O texto também afirma que os “austríacos nos representam” e sugere que as vacinas contra o Sars-CoV-2 são uma “experiência coletiva”. Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:

“Áustria
Novembro de 2021
O governo decreta lockdown aos não injetados.
O Povo: [pessoas caminham e gritam na rua]
Os austríacos estão NOS representando.
Força, Humanos!
Somos MILHÕES de ‘despertos’ ao redor do mundo!
VOCÊ NÃO ESTÁ sozinho.
Esta é uma experiência coletiva.
É coletivamente que VIBRAMOS fora desta ‘matrix’.
Bem vindo ao despertar da Raça Humana! (…)”

Texto em vídeo publicada no WhatsApp

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O vídeo não mostra protesto contra as medidas de bloqueio adotadas pelo governo da Áustria. As imagens são, na verdade, de uma marcha de torcedores do time de futebol Borussia Mönchengladbach realizada na cidade austríaca de Graz em novembro de 2019, ou seja, há dois anos, ainda antes dos primeiros casos de Covid-19 registrados no mundo. 

Na ocasião, cerca de 6 mil pessoas marcharam a pé até o estádio que sediou o jogo entre os times Borussia Mönchengladbach e Wolfsberger AC, da Liga Europa da UEFA (União das Associações Europeias de Futebol). O vídeo original foi publicado no site de notícias local RP.  

Embora a gravação seja falsamente atribuída a manifestações recentes, de fato foram realizados protestos contra novas medidas de confinamento na Áustria. No dia 14 de novembro, o país decretou lockdown para pessoas que não tomaram a vacina contra a Covid-19. A medida passou a valer no dia 15 e foi motivada pelo aumento de casos da doença no país. A decisão, anunciada pelo chanceler Alexander Schallenberg, foi alvo de protestos na capital do país, em Viena, no dia 15. 

Nesta sexta-feira (19), o governo austríaco anunciou o confinamento total, ou seja, para vacinados e não vacinados, a partir do dia 22. A vacinação também passará a ser obrigatória a partir de 1º de fevereiro do próximo ano. A imprensa europeia noticiou que novos protestos estão agendados para sábado (20) no país, organizados pelo Partido da Liberdade da Áustria (FPÖ), partido populista de extrema direita.

Cerca de 65% da população do país já tomou as duas doses do imunizante contra o novo coronavírus, segundo a plataforma de dados Our World in Data. Essa é uma das menores taxas de vacinação entre as nações da Europa Ocidental.

Esse conteúdo também foi verificado por AFP Checamos

Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco pelo número +55 21 99193-3751.

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo