Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: É falso que Brasil importou da Somália bananas infectadas com ‘verme letal’

Estagiária | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
26.nov.2021 | 19h32 |

Circula pelo WhatsApp um vídeo em que uma pessoa mostra um cacho de bananas e depois corta uma das frutas. Com uma pinça, ela retira da polpa de uma das bananas o que supostamente seria um verme. A legenda que acompanha a gravação afirma que o Brasil importou recentemente cerca de 500 toneladas de bananas da Somália e que elas estão infectadas com um verme chamado Helicobacter. Além disso, o texto diz que esse verme libera veneno no estômago e quem o consome apresenta sintomas como diarreia, vômito, náuseas e pode até causar morte cerebral. Por WhatsApp, leitores da Lupa sugeriram que esse conteúdo fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação​:

“Por favor, divulgue este vídeo o máximo possível. Recentemente, chegaram aos mercados 500 toneladas de bananas da Somália, que contêm um verme chamado Helicobacter que libera veneno no estômago; qiem consumir apresenta os seguintes sintomas: (diarreia, vômitos, náuseas, dor de cabeça) e após 12 horas a pessoa pode morrer e causa morte cerebral. Evite comprar e comer quaisquer bananas hoje em dia ou, se for comprar, certifique-se de abri-las para ver por dentro. Assista o vídeo”
Legenda que acompanha vídeo que circula no WhatsApp

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O Brasil não importou cerca de 500 toneladas de bananas contaminadas com verme da Somália. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento informou, em nota enviada por e-mail, que essa informação é uma notícia falsa, pois a Somália não é um país exportador de banana. A nota diz ainda que não há possibilidade dessa carga ter ingressado no Brasil de forma regular ou irregular por causa das características de armazenamento e transporte desse tipo de produto.

De acordo com a plataforma Comextat, que pertence a Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Economia, o Brasil importou da Somália somente obras de plástico, óleos essenciais e peixes ornamentais, totalizando US$ 4.892. Em nota, o Ministério da Agricultura declarou que a importação de frutos de banana é autorizada apenas para os países do Mercosul como a Argentina, Paraguai e Uruguai.

Além disso, a peça de desinformação erra ao afirmar que “Helicobacter” é uma espécie de verme. O ministério explicou que trata-se, na verdade, de uma bactéria. Dessa forma, por ser um organismo microscópico não é possível a visualização a olho nu. “Helicobacter pilory é o que conhecemos como H. pilory e é uma bactéria comumente encontrada no estômago e está presente em aproximadamente metade da população mundial”, diz trecho da nota.

A pasta disse ainda que grande parte das pessoas infectadas por H. pylori não apresenta qualquer sintoma e nem desenvolve problemas de saúde pela bactéria. Contudo, sua presença pode estar associada ao surgimento de alguns problemas gastrointestinais como úlceras e, menos comumente, câncer. 

Essa informação também foi checada por AFP Checamos, Fato ou Fake e Estadão Verifica. Conteúdo similar também circulou na Índia, no Quênia, na Malásia e nos Emirados Árabes Unidos, entre outros países.

Esta‌ ‌verificação ‌foi sugerida por leitores através do WhatsApp da Lupa. Caso tenha alguma sugestão de verificação, entre em contato conosco pelo número +55 21 99193-3751.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo