Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: É falso que projeto de lei pretende ‘proibir as partidas de sinuca por ser um jogo racista’

Estagiária | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
03.dez.2021 | 18h06 |

Circula pelas redes sociais a captura de tela de uma suposta notícia do site G1 sobre um projeto de lei “para proibir partidas de sinuca por ser um jogo racista”. A iniciativa seria de autoria do deputado José Ricardo (PT-AM). De acordo com o texto da imagem, o parlamentar teria alegado que a supremacia racial é representada pela bola branca do jogo. A mensagem diz ainda que a bola preta de número oito faria alusão a uma algema e isso remeteria ao tempo de escavidão dos negros. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa​:

“Projeto de lei 4674/2021 de autoria do deputado José Ricardo PT-AM para proibir as partidas de sinuca por ser um jogo racista. Segundo deputado a supremacia racial é devidamente representada pela bola branca com o objetivo final de derrubar a bola preta, sendo que o número 8 faz ilusão a uma algema remetendo aos tempos de escravidão dos negros.”

Texto de suposta reportagem do site G1 publicada no Facebook que, até às 14h de 3 de dezembro de 2021, tinha 1,4 mil compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Trata-se de uma montagem. A imagem foi manipulada através de um acesso ao código-fonte da página, o que torna possível manter o logotipo e o padrão visual do portal, mas alterar o título e o subtítulo, segundo explicou o G1

Uma busca no site da Câmara dos Deputados revela que existe um projeto de lei de número 4.674/2021. Contudo,a proposta não trata sobre “proibição de partidas de sinuca”. Na verdade, a iniciativa pretende alterar o Estatuto da Pessoa com Deficiência, para assegurar acessibilidade em treinos, serviços ou eventos, culturais ou esportivos. Esse projeto não é de autoria de Zé Ricardo, mas do deputado Nereu Crispim (PSL-RS).

Além disso, o parlamentar citado declarou em seu perfil oficial no Twitter que a imagem que circula pelas redes sociais é falsa. “E começaram as fake news…Eles estão agindo de forma deliberada e ideológica, com absurdos e mentiras, mas sempre de maneira ignorante”, disse o deputado na publicação.

Zé Ricardo não tem nenhum projeto que mencione “proibir jogos de sinuca”, de acordo com seu perfil da Câmara dos Deputados. Nas redes sociais oficiais do político (Instagram, Facebook e Twitter) também não existe menção a essa proposta. 

Uma busca pela suposta reportagem no site do G1 não mostra nenhuma notícia sobre esse ocorrido. Pelo contrário, o portal checou a informação e comunicou nesta quinta-feira (2) que não publicou o texto exibido no post. A peça de desinformação também erra ao colocar ponto final no título, um padrão que não é adotado pelo portal ou pela maioria dos sites jornalísticos. 

Essa informação também foi verificada por Fato ou Fake e Boatos.org

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo