Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: É falso que Time vai processar Bolsonaro por ‘usurpação da imagem’ da revista

Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
15.dez.2021 | 18h03 |

Circula pelas redes sociais uma publicação segundo a qual a revista norte-americana Time vai processar o presidente Jair Bolsonaro (PL) por “usurpação da imagem da revista”. De acordo com a mensagem, montagens feitas por apoiadores, em que o rosto do mandatário aparece na capa da publicação, levaram os advogados do veículo a anunciarem uma queixa contra o presidente brasileiro em um tribunal de Washington. Bolsonaro venceu uma enquete com internautas para personalidade do ano, mas os editores da revista escolheram o empresário Elon Musk como grande destaque de 2021. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“REVISTA TIME VAI PROCESSAR BOLSONARO.
Advogados da Time anunciaram que vão entrar com uma queixa no Tribunal Federal de Washington contra o Presidente Jair Bolsonaro por usurpação da imagem da revista.
Imagens falsas em que o presidente brasileiro aparece como supostamente eleito personality of the year irritaram os editores, que informaram Bolsonaro foi definitivamente excluído de qualquer escolha.”
Texto em imagem que, até 17h do dia 18 de dezembro de 2021, havia sido visualizado por 5 mil usuários no Facebook

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. Por meio de sua assessoria de imprensa, a revista Time declarou que não move qualquer processo contra o presidente Bolsonaro. Além disso, não há evidências de que a publicação tenha anunciado que apresentaria uma queixa contra o mandatário brasileiro. Montagens em que Bolsonaro é destacado na capa da Time circularam nas últimas semanas depois de sua vitória em uma enquete da revista.

No dia 7 de dezembro, a publicação anunciou que Bolsonaro venceu a enquete na qual seus leitores poderiam opinar sobre quem deveria receber o título de personalidade do ano. De acordo com a revista, o presidente brasileiro recebeu 24% dos mais de 9 milhões de votos computados — o que seria equivalente a 2,1 milhões de votos. Bolsonaro ficou à frente do ex-presidente estadunidense Donald Trump (em 2º lugar) e dos profissionais da saúde que atuaram na linha de frente do combate à pandemia da Covid-19 (em 3º).

A Time adotou um tom de crítica ao fazer o anúncio da vitória de Bolsonaro. Chamou-o de “líder controverso” e lembrou que o mandatário está enfrentando taxas de desaprovação crescentes devido às dificuldades econômicas e à condução do país durante a pandemia. Ainda assim, o presidente foi às suas redes sociais para comemorar o resultado da votação. “Esperamos que Revista Time nos conceda, de fato, o título, respeitando o resultado das eleições”, publicou.

Na sequência, montagens feitas por apoiadores com o rosto de Bolsonaro na capa da Time passaram a circular nas redes sociais. No entanto, a enquete tem apenas caráter consultivo, já que a decisão final é dos editores da revista. Neste ano, a personalidade do ano escolhida foi Elon Musk, CEO da fabricante de carros elétricos Tesla e fundador da empresa de exploração espacial SpaceX.

Por meio de sua assessoria, a Time informou que as informações que circulam nas redes sociais sobre o suposto processo movido contra Bolsonaro são falsas. A revista declarou que não move nenhuma ação contra o presidente brasileiro. Também não é possível localizar em veículos de imprensa informações acerca do suposto anúncio que teria sido feito sobre o processo.

O título de personalidade do ano é concedido pela Time desde 1927. O vencedor é homenageado na capa da publicação. Em 2020, o então presidente norte-americano eleito Joe Biden e sua vice Kamala Harris foram os reconhecidos. Em 2019 foi a vez da ativista sueca Greta Thunberg. Também foram homenageados em anos anteriores personalidades como Adolf Hitler, Mahatma Ghandi, Elizabeth II e o papa Francisco.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo