Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: É falso que água fornecida pela Sabesp está contaminada e causa virose

Estagiária | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
21.dez.2021 | 16h17 |

Circula pelas redes sociais uma imagem de uma captura de tela afirmando que a água fornecida pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) está contaminada e que por isso metade da população de São Paulo está com virose. A publicação diz ainda que os sintomas dessa virose seriam febre, enjoo, dor de cabeça, dor no corpo, tosse e coriza. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Atenção 🚨🚨🚨🚨 Gente quem puder ferver água antes de beber ou comprar água mineral faça isso!!!! metade da população está com virose água da rua (Sabesp) está CONTAMINADA sintomas febre, enjoo dor de cabeça dor no corpo tosse coriza compartilhar”

Texto em imagem publicada no Facebook que, até as 14h de 20 de dezembro de 2021, tinha 2.767 interações, segundo a ferramenta Crowdtangle

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. A Sabesp informou, em nota enviada por e-mail, que a água fornecida pela empresa cumpre a legislação para potabilidade e que monitora continuamente todas as etapas do sistema de abastecimento, conforme exigências do Ministério da Saúde. Também publicou conteúdo semelhante desmentindo o boato no seu perfil oficial no Facebook. A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo declarou, por e-mail, que não é verdade que a água fornecida pela Sabesp esteja contaminada e provoque virose. 

Questionada pela Lupa sobre a periodicidade da testagem da água, a Sabesp informou, através de nota enviada por e-mail, que para o controle de qualidade da água distribuída são realizadas mais de 80.000 análises mensais. A instituição disse ainda que entre as análises feitas são monitorados o cloro residual livre e os coliformes totais, que são parâmetros que demonstram que a água foi desinfetada e está livre de organismos patogênicos. A totalização das análises feitas na rede de distribuição é declarada mensalmente nas contas de água dos clientes.

Segundo o Infectologista Helio Bacha, consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), existe a possibilidade de transmissão de doenças bacterianas e virais pelo consumo de água contaminada. Alguns exemplos são a poliomielite, todos os tipos de enterovírus, Hepatite A, entre outras. Contudo, Bacha explica que é necessário um número muito grande de contaminantes e fezes para atingir metade da população de São Paulo.

Além disso, o infectologista diz que não existe até o momento nenhuma comprovação das alegações presentes na publicação que circula pelas redes sociais e que não teve conhecimento de nenhum surto de virose advindo da água fornecida pela Sabesp. Bacha afirma ainda que é mais provável que essa contaminação seja proveniente de alguma água não controlada do que da companhia de saneamento básico. “Acho que isso é uma informação falsa e caluniosa que quer despertar uma insegurança na cidade de São Paulo”, conclui o médico. 

O governo de São Paulo entrou em alerta após o anúncio de que o estado do Rio de Janeiro e municípios da região metropolitana da capital fluminense enfrentam uma epidemia do vírus da influenza H3N2. Por causa do alto índice de vacinação contra Covid-19 no Rio de Janeiro, os protocolos de segurança foram flexibilizados, o que favoreceu a disseminação do H3N2. Somente na capital carioca, mais de 20 mil pessoas foram diagnosticadas com gripe. 

Por fazer divisa com o Rio de Janeiro, o governo de São Paulo também registrou um aumento de casos da doença na cidade. Outros estados como Espírito Santo, Bahia e Rondônia também já apresentam um aumento incomum de casos de gripe

Alguns sintomas da gripe são semelhantes aos relatados na peça de desinformação, como febre, tosse e dor no corpo. Especialistas incentivam a vacinação da população contra a gripe porque o imunizante ainda garante uma resposta imunológica contra casos graves e mortes pela doença, promovendo imunidade durante o período de maior circulação do vírus.

Esse conteúdo também foi verificado por Aos Fatos e Boatos.org

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés e Maurício Moraes

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo