Tem certeza que deseja sair da sua conta?

#Verificamos: É falso que Bolsonaro instalou placas de energia solar sobre canal de transposição do São Francisco

Estagiária | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
06.jan.2022 | 16h10 |

Circulam nas redes sociais fotos que mostram painéis de energia solar sobre um canal. A legenda que acompanha as imagens diz que a estrutura está localizada sobre o Rio São Francisco e atribui ao governo Bolsonaro a realização da obra. A mensagem diz ainda que a construção evitaria a evaporação de água e promoveria energia elétrica para os pequenos produtores. Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Bolsonaro vai matar a quadrilha da esquerda de raiva, mandou instalar painéis solares em cima do canal da transposição do São Francisco, não toma espaço útil, evita a evaporação da água e produz energia elétrica para os pequenos produtores”

Legenda de post publicado no Facebook que, até às 14h de 6 de janeiro de 2022, tinha 1 mil compartilhamentos

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. As imagens não foram registradas no canal de transposição do Rio São Francisco, mas sim na Índia. A postagem original contendo a montagem de imagens foi publicada em janeiro de 2021 no perfil do Instagram Engineering and Architecture. A página atribui os painéis solares a uma construção indiana. 

A mesma montagem foi compartilhada pelo ex-ministro norueguês, Erik Solheim, no dia 16 de junho de 2021 no Twitter. Solheim afirma que os painéis solares estão no estado de Gujarat, na Índia. O ex-ministro também compartilhou no tuíte um link para uma reportagem da BBC sobre os “canais solares” que fazem um uso inteligente do espaço na Índia.

Um registro semelhante à primeira foto da montagem aparece no site da construtora Meil, encarregada pela execução do projeto solar. Segundo a construtora, a foto é de uma usina solar na cidade de Vadodara, em Gujarat, inaugurada em 2015 com a presença do então secretário-geral da ONU, Ban Ki Moon.

A segunda foto é apresentada em um projeto de infra-estrutura da empresa AECOM para Visakhapatnam, cidade litorânea da Índia. O relatório é de 2017. Uma matéria do The Economic Times sobre a usina solar em Gujarat também mostra uma imagem semelhante à que aparece na peça de desinformação, a reportagem foi publicada em 2012.

Em fevereiro de 2019, o governo federal estudava a possibilidade de instalar painéis solares ao longo dos canais de integração do Rio São Francisco. No entanto, não há registros até o momento de placas de energia solar instaladas no São Francisco pelo governo federal. Em agosto de 2019, o presidente Jair Bolsonaro (PL) inaugurou a primeira etapa da Usina Solar Flutuante na Bahia, instalada no Reservatório de Sobradinho para ser utilizada no bombeamento de água. 

O Ministério de Minas e Energia informou que o Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional (PISF) está inserido na Política Nacional de Recursos Hídricos e que a experiência bem-sucedida de placas solares flutuantes em Sobradinho servirá de modelo para o uso das placas ao longo dos 477 quilômetros dos canais de transposição do São Francisco. 

Em nota enviada por e-mail, a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) informou que atua no momento na pré-operação do Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco (PISF). Contudo, não estão sendo empreendidas atividades visando à instalação de placas voltadas à geração de energia solar no Rio São Francisco.

Essa informação também foi checada por Aos Fatos, Boatos.org e Estadão Verifica.

Nota:‌ ‌esta‌ ‌reportagem‌ ‌faz‌ ‌parte‌ ‌do‌ ‌‌projeto‌ ‌de‌ ‌verificação‌ ‌de‌ ‌notícias‌‌ ‌no‌ ‌Facebook.‌ ‌Dúvidas‌ sobre‌ ‌o‌ ‌projeto?‌ ‌Entre‌ ‌em‌ ‌contato‌ ‌direto‌ ‌com‌ ‌o‌ ‌‌Facebook‌.

Editado por: Chico Marés

O conteúdo produzido pela Lupa é de inteira responsabilidade da agência e não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem autorização prévia.

A Agência Lupa é membro verificado da International Fact-checking Network (IFCN). Cumpre os cinco princípios éticos estabelecidos pela rede de checadores e passa por auditorias independentes todos os anos

A Lupa está infringindo esse código? Clique aqui e fale com a IFCN

 

Esse conteúdo foi útil?

1 2 3 4 5

Você concorda com o resultado desta checagem?

Sim Não

Leia também

SIGNATORY- International Fact-Checking Network
Etiquetas
VERDADEIRO
A informação está comprovadamente correta
VERDADEIRO, MAS
A informação está correta, mas o leitor merece mais explicações
AINDA É CEDO PARA DIZER
A informação pode vir a ser verdadeira. Ainda não é
EXAGERADO
A informação está no caminho correto, mas houve exagero
CONTRADITÓRIO
A informação contradiz outra difundida antes pela mesma fonte
SUBESTIMADO
Os dados são mais graves do que a informação
INSUSTENTÁVEL
Não há dados públicos que comprovem a informação
FALSO
A informação está comprovadamente incorreta
DE OLHO
Etiqueta de monitoramento
Seções
Arquivo