=igualdades

Mais ricos perderam espaço nas universidades brasileiras

Lianne Ceará, Marcos Amorozo e Renata Buono
12maio2021_10h00

O ensino superior brasileiro tem a marca histórica de ser elitizado e ocupado, majoritariamente, pelos mais ricos e brancos; e oferta de cursos presenciais concentrada nas regiões Sul e Sudeste. Até 1998, a cada 100 alunos de 18 a 24 anos em cursos superiores, 75 pertenciam aos 20% mais ricos da população. A partir dos anos 2000, isso começou a mudar, graças a políticas de ação afirmativa e à Lei de Cotas, que destinou vagas a negros, pobres e oriundos da escola pública. Em 2019, a situação era um pouco diferente: 40 de cada 100 estudantes pertenciam aos 20% mais ricos da população. 

Os dados do Inep mostram que alunos vindos dos dois quintos mais pobres aumentaram a sua presença no ensino superior entre 1998 e 2019. De 1995 a 2015, a proporção de estudantes vindos dos 20% mais pobres (1º quinto) passou de 1,1% para 6,0%; a de alunos que pertenciam ao 2º quinto cresceu de 1,6% para 10,1% no mesmo período.

Ainda que o acesso das pessoas de baixa renda tenha aumentado, os índices se mantêm estáveis desde 2015. Desde então, diminuiu o ritmo de redução da desigualdade no ensino superior brasileiro.

Lianne Ceará (siga @lianneceara no Twitter)

Estagiária de jornalismo na piauí

Marcos Amorozo (siga @marcosamrz no Twitter)

Estagiário de jornalismo na piauí, é estudante da Universidade de Brasília (UnB)

Renata Buono (siga @revistapiaui no Twitter)

Renata Buono é designer e diretora do estúdio BuonoDisegno

Leia também

Últimas

O padre, o filho e a pensão alimentícia

Justiça manda religioso pagar três salários mínimos mensais a ex-fiel que diz ter tido um romance e um filho com ele; o padre nega

Pela simplificação dos planos diretores

Legislação complicada e genérica precisa ser substituída por outra capaz de ser entendida pela população

O encalhe de Pantanal e Dona Beija

Acervo com mais de 25 mil fitas da Rede Manchete vai a leilão, mas não atrai nenhum comprador

Foro de Teresina #154: Boom, bola e bolso

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Dias de alívio e de pranto

Vestibulanda relata angústia de ver sua avó, vacinada, se recuperar da Covid, enquanto um amigo chorava a morte do pai, sem vacina

Mais textos