cartas

Ler a piauí de forma irresponsável e pouco metódica também é válido

PIAUÍ 165
Superfã de Consuelo Dieguez, agradeço pela matéria “Caçadores de mentiras”; muito me animou o trabalho da IFCN e seus princípios para um jornalismo confiável. Mas a dificuldade é a assimetria “defesa versus ataque”: é mais fácil espalhar fake news do que checá-las; isso poderia ser mitigado com a arregimentação de voluntários (como faz a Full Fact). Ainda, como frisa Rodrigo Mesquita em “Uma nova imprensa” – um apelo à adaptação do jornalismo (que me evocou The Revolt of the Public, de Martin Gurri) –, o problema é menos as pessoas que acreditam em uma determinada fake news, e mais o resultante contexto de incerteza e desconfiança geral, que faz as pessoas buscarem informações que confortem seus vieses e emoções prévias. Adicione a isso a formação de “bolhas”.

Como Consuelo, preocupo-me com governos despreparados chamando para si regular a circulação de informações; gostaria de ler mais sobre alternativas efetivas. Talvez uma “agência de rating” que classifique transmissores de informação de acordo com sua observância a princípios de confiabilidade (como os da IFCN); aliás, googlei e descobri que a Ad Fontes Media já o faz, há um livro de 2015 a respeito. Mas acho cada vez mais provável que haverá normas responsabilizando indivíduos por repassarem informações falsas ou imprecisas – e, se os jornalistas não começarem a pensar nisso, outros o farão.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES

Leia também

Últimas Mais Lidas

Foro de Teresina #113: Bolsonaro fura o teto

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Agonia da Cinemateca Brasileira

Desgoverno atual da República não nos anima a ter esperanças

Vacina, pressa e propaganda

No Brasil, governos prometem vacinação em massa contra Covid-19 para logo, mas laboratórios programam terminar fase de testes entre outubro de 2021 e novembro de 2022 

Compras que desmancham no ar

Durante a pandemia, denúncias de golpes em falsos leilões virtuais aumentam nove vezes em relação ao semestre anterior

Reciclando a estrada alheia

Redes bolsonaristas usam fotos antigas para atribuir ao governo Bolsonaro obras de outras gestões

A tropa de choque de Bolsonaro

Pesquisa inédita traça perfil de policiais que, em postagens públicas nas redes, defendem ideias como fechamento do Supremo e do Congresso

Uma floresta mais perto do fim

Audiência pública virtual para discutir o autódromo que destruirá Floresta do Camboatá volta a ser permitida pela Justiça na reta final

Foro de Teresina #112: A metamorfose de Bolsonaro

podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

O Minotauro da fronteira 

Como um dos chefes do PCC deixou um rastro de mortes e corrupção no Paraguai

Mais textos
4

Deus e o Diabo estão nos detalhes

Notas sobre a importância do desimportante

6

A Terra é redonda: O mundo dá voltas

Os terraplanistas estão se aproximando do poder: chegou a hora de falar deles

7

Depois do atentado

Como a morte de Marielle Franco mudou nossas vidas

9

O bigode da modernidade ataca novamente

As peripécias manhosas do brônzeo estadista que veio do Maranhão e não largou a rapadura

10

Uma biografia improvável

O que são vírus – esses parasitas que nos deram nada menos que 8% do nosso DNA