poemas

Construímos muros de palavras ao redor

Yasmin Nigri
CRÉDITO_ADRIANA KOMURA

ANA MARTINS MARQUES

Ana anda quebrando copos
porque não tem panelas
Ana não largaria tudo
por um grande amor
Ana esquece de responder às pessoas
mas no coração ela responde
e isso é o mais importante
Ana não gosta de arroz
e é alérgica a frutos do mar
Certa vez Ana foi a um jantar
onde serviram risoto de camarão
Ana não se desfaz
de nenhum livro que ganha
Ana achou bonito o meu enquadramento
embaixo das folhas de caule espinhoso
Enquanto fumávamos na varanda
pediu cuidado com os espinhos
Disse que daria uma linda fotografia
mas não tirou a fotografia
Ana não gosta de aparecer
em fotografias
Ana gosta de quem não faz alarde
e me pediu em casamento
quando cozinhei pra ela
Ana gosta do que faz
Ana me deixa bilhetes
em cima da mesa
e também alguns livros
Leio enquanto tomo café
imaginando que sejam pra mim
Ana acha difícil falar
e mais ainda escrever
Ana me dedicou um livro
agradecendo minha amizade
Ana é discreta
e tem muito senso de humor
Ana sorri mais
muito mais do que eu supunha
E mesmo quando dança
não é feliz

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES

Yasmin Nigri

Yasmin Nigri, poeta e artista visual, é mestre em filosofia pela Universidade Federal Fluminense e colaboradora da revista Caliban.

Leia também

Últimas

O mantra do negacionismo namastê

Praticantes de um estilo de vida supostamente saudável recorrem à desinformação e recusam a vacina

A única semelhança

Cientista de dados negro, preso por engano no Rio depois de reconhecimento por foto, narra os dias no cárcere e a dificuldade para ser solto

Nos erros de reconhecimento facial, um “caso isolado” atrás do outro

Presos por engano, cientista de dados, mototaxista e motorista têm algo mais em comum: são negros

Foro de Teresina #169: O vírus mal-disfarçado do bolsonarismo

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Na crise climática, Congresso tira o corpo fora

Metade dos parlamentares se diz muito preocupada com o meio ambiente no Brasil, mas só 7% acham que seus colegas têm o mesmo interesse; maioria atribui a crise ao governo

Mais textos