GENTE NUA E GENTE GRAFITANDO A RUA

Stripper, jornalistas, escritores, cineastas e grafiteiro

Hilary Mantel [Abscessos, aderências, perfurações: nunca me senti tão só, p. 15], escritora inglesa, autora de O Gigante O’Brien, da editora Record. Diário publicado no London Review of Books. Tradução de Rubens Figueiredo.

 

Xavier Gorce [Pingüins ao longo da revista] é cartunista francês. Os quadrinhos foram tirados da série Les Indégivrables, coletânea publicada pela Inzemoon da versão eletrônica do Le Monde.

 

Dorrit Harazim [A busca do filho, p. 18], editora de piauí, dirigiu os documentários da série Travessias.

 

Norman Mailer [Aos tapas e pontapés, with love, p. 22], escritor americano (1923–2007), autor de O Castelo na Floresta, da Companhia das Letras. Publicação autorizada por Lawrence Schiller, do Norman Mailer Estate. Ilustração de Edward Sorel, escritor e cartunista americano. Tradução de Just Cheech.



 

Antonia Pellegrino [De zero à esquerda a muitos zeros à direita, p. 36], roteirista e autora de telenovelas, editou Lucidez Embriagada, coletânea de artigos de Hélio Pellegrino, da Planeta do Brasil.

 

Banksy [Capa e portfólio, p. 41] é grafiteiro da cidade de Bristol, na Inglaterra.

 

Diablo Cody [Pelada no palco, p. 50], escritora americana, ganhou no ano passado o Oscar de melhor roteiro original pelo filme Juno. O artigo foi tirado do livro Minha Vida de Stripper, lançado no Brasil pela editora Nova Fronteira. Tradução de Ana Carolina Bento Ribeiro.

 

Walter Benn Michaels [Contra a diversidade, p. 56], crítico literário e ensaísta americano, professor da Universidade de Illinois, autor de The Trouble with Diversity. Artigo publicado originalmente na New Left Review. Tradução de Ivo Korytowski. Ilustração de Norman Rockwell (1894–1978), que retrata Ruby Bridges, aos seis anos, escoltada por oficiais de justiça, chegando para o primeiro dia de aula em uma escola recém-dessegregada.

 

Nelson Pereira dos Santos [Nunca saí na porrada em filmagem, p. 58], cineasta, é diretor de Vidas Secas e Memórias do Cárcere. Lançará em breve o documentário Um Homem Iluminado, sobre Tom Jobim.

 

Carlos Diegues [Seleção artificial, p. 60], cineasta, é diretor de Bye Bye, Brasil.

 

Marcel Gotlib [Já não se fazem mais…, p. 62], escritor e cartunista francês, é editor da revista Fluide Glacial. Tradução de Dorothée de Bruchard.

 

Ilustrações de EsquinaAndrés Sandoval

Leia também

Últimas Mais Lidas

Bolsonaro vai pior que os prefeitos 

Segundo Ibope Inteligência, avaliação do presidente é negativa em metade das 26 capitais

“O presidente sou eu!” – quem diria?

Chico Rei Entre Nós e Verlust na Mostra Brasil

Retrato Narrado #5: O caminho até o Planalto

Muitos acontecimentos naqueles meses de 2018 surpreenderam, entre eles um atentado contra Bolsonaro.

De parceiro de condomínio a queridinho do PSL

Colega de escritório do vice-presidente do partido recebe 4,2 milhões de reais para disputar prefeitura do Recife, mas só tem 1% de intenção de voto

O banco imobiliário do PCC

Esquema de compra e venda de imóveis da facção criminosa movimentou 100 milhões de reais em 28 anos

Feira livre de Covid

Cientistas rastreiam transmissão em cidade turística alagoana e ajudam a criar protocolos sanitários para manter atividades econômicas

Mais textos