cartas

Malucos e felizes

JAGHSHEMASH
Confesso que não gosto dessa história de os artigos da seção esquina não serem assinados. Isso impede que eu goste ou desgoste dos mesmos, sem lê-los. Não é loucura não, é puro preconceito mesmo! Tenho receio de gostar de uma matéria de quem não gosto.
HELIO LOUREIRO SERAFINO_SÃO PAULO, SP
NOTA DA REDAÇÃO: Como diria Borat Sagdiyev, “jaghshemash, jaghshemash”
DIVERSÃO ANUNCIADA
Genial o anúncio institucional de piauí. Adivinhem onde eu estava no momento em que o li? Sim, num saguão de aeroporto. Para ser mais irônico ainda, em Brasília. Querem mais? Meu vôo estava atrasado, porque havia chovido a tarde inteira em São Paulo e Congonhas estava com problemas. Agora imaginem a cara e o que pensaram os outros passageiros que esperavam o mesmo vôo quando um cara de iPod lendo uma revista gigante começa a rir descontroladamente.
DANIEL MOMESSO_SÃO PAULO, SP
DE SUMO INTERESSE
Sou estudante da Universidade Presbiteriana Mackenzie, e participo de um coletivo, que acabou de ganhar a eleição do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da mesma.
Não nos apetece o fato da nossa Universidade ser vista como o reduto dos despolitizados e principalmente dos “festeiros”, ela deve ser muito mais do que isso.
Com o intuito de trazer uma nova lógica para nossa Instituição e principalmente de fazer com que nossos colegas de faculdade leiam revistas progressistas, de cunho político-filosófico, para que de fato compreendam os problemas que enfrentam nosso país, estamos organizando kits para entregar aos novos ingressantes da Universidade. Portanto é de sumo interesse e importância que a Revista piauí nos ceda 4 mil exemplares de sua revista para que possamos redistribuir aos nossos calouros.
Desde já contamos com a colaboração de vocês e esperamos retorno positivo!
KEILA MARTINS_SÃO PAULO, SP
NOTA DA REDAÇÃO: A piauí nada tem contra festeiros. Contamos com eles para comprar
4 mil exemplares da revista.
100 ANOS DE PORRADA
Ivan Lessa pediu que os leitores do revistão dissessem quem foi o culpado do desentendimento no humilde cinema mexicano.
Por não ler García Márquez, e sim comer as suas obras, e por achá-lo o escritor mais criativo de todos os tempos, deveria dizer que o peruano é o culpado e que mereceu todos os impropérios citados pelo colombiano, ofendendo mães, esposas e afins. Mas o tão querido Gabo se exaltou demais! Está certo que o peruano é chato pra caramba e que suas convicções políticas são extremamente imbecis, mas de maneira nenhuma precisava partir para a violência, já que os seus argumentos mágicos poderiam deixar Vargas Llosa totalmente solitário, uns cem anos.
WILAME PRADO_MARINGÁ, PARANÁ
MALUCOS BELEZA
Redações sempre têm tipos malucos, mas os da piauí são realmente diferenciados e certamente mais felizes. Achei fantástica essa divulgação de um produto nacional tão bacana — a Leda. Também entendi por que a palavra “baseado” está em 80% dos textos.
FLAVIANA SERAFIM_SÃO PAULO, SP

Leia também

Últimas Mais Lidas

Polícias fraturadas

PM adotou padrões de risco distintos ao coibir protestos deste domingo; na PF, fronteiras entre segurança e política são ainda mais tênues 

Bolsonaro seduz policiais militares com promessas, cargos e poder

Entre o capitão e os governadores, é preciso saber para onde irá a Polícia Militar

Foro de Teresina #102: Tensão máxima no Planalto

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Rebelião contra Aras

Ao protestar contra inquérito das fake news, chefe do Ministério Público Federal deflagra reação na instituição

STJ, novo ringue de Bolsonaro

Tribunal tem papel decisivo na crise entre presidente e governadores

Witzel a Jato 

Celeridade da Procuradoria da República contra governador do Rio surpreende na operação que expôs contratos da primeira-dama com um dos maiores fornecedores do estado

Esgares e sorrisos

Cinemateca Brasileira em questão

Sem prova nem lápis emprestado

Estudante brasileira em Portugal relata transformações na rotina escolar depois da epidemia de Covid-19

Na contramão do governo, brasileiros acreditam mais na ciência

Pesquisa inédita aponta que, durante a pandemia, 76% dos entrevistados se mostraram mais interessados em ouvir orientações de pesquisadores e cientistas

Mais textos
1

Dentro do pesadelo

O governo Bolsonaro e a calamidade brasileira

2

Rebelião contra Aras

Ao protestar contra inquérito das fake news, chefe do Ministério Público Federal deflagra reação na instituição

3

Sem prova nem lápis emprestado

Estudante brasileira em Portugal relata transformações na rotina escolar depois da epidemia de Covid-19

4

Bolsonaro seduz policiais militares com promessas, cargos e poder

Entre o capitão e os governadores, é preciso saber para onde irá a Polícia Militar

5

Na contramão do governo, brasileiros acreditam mais na ciência

Pesquisa inédita aponta que, durante a pandemia, 76% dos entrevistados se mostraram mais interessados em ouvir orientações de pesquisadores e cientistas

6

Médico no Rio se arrisca mais e ganha menos

Governo Witzel corta adicionais de insalubridade de profissionais que atuam contra a Covid-19 em hospital da Uerj

7

Juventude bolsonarista

A extrema direita sai do armário no Brasil

8

Witzel a Jato 

Celeridade da Procuradoria da República contra governador do Rio surpreende na operação que expôs contratos da primeira-dama com um dos maiores fornecedores do estado

9

Maria vai com as outras #8: Ela voltou

Monique Lopes, atriz pornô e acompanhante, fala novamente com Branca Vianna, agora sobre seu trabalho durante a pandemia do novo coronavírus

10

STJ, novo ringue de Bolsonaro

Tribunal tem papel decisivo na crise entre presidente e governadores