cartas

Pornografia de quinta

BA X FIDELID DE

C ssi no Elek M ch do quebrou tudo escrevendo sobre MP3.

Um retr to fiel dest re lid de tecnológic que sequer preenche nossos ouvidos de m neir corret . E se ess revist public sse seus textos excluindo um d s vog is?

C RLOS BOZZO JUNIOR_ S~O P ULO, SP



 

CONFISSÃO

Larguei a minha tese de conclusão de curso (bagaço de uma graduação) para entregar-me às safadezas da piauí. Degustada com o prazer de um pré-adolescente que descobre uma revista pornográfica de quinta categoria, deliciei-me.

GICA TRIERWEILER_BLUMENAU, SC

 

CEMITÉRIO

Em relação ao trecho ficcional de Paulo Emilio Salles Gomes publicado no número de março faço uma retificação. Fui informado, em 1993, por Décio de Almeida Prado, amigo desde a adolescência de Paulo Emilio, sobre a existência de uma novela inédita intitulada “Rapsódia”. Décio a teria lido e aconselhado a não edição, já que muitas das pessoas citadas ainda estavam vivas. Como não existem duas ficções inéditas, é forçoso reconhecer que “Cemitério” é o novo nome atribuído à obra esboçada e, infelizmente, inacabada, de Paulo Emilio.

JOSÉ INÁCIO DE MELO E SOUZA_SÃO PAULO, SP

 

MUITO ANGU PELA FRENTE

Fui um dos 195 participantes do concurso literário, mas não levei o prêmio. Fiquei triste, obviamente, pois eu estava crente que estava abafando. Mas a frustração diminuiu um pouco quando li o texto do vencedor, que de fato, é uma pequena obra-prima. De uma inteligência delicada e senso de humor sutil, o texto nos esbofeteia com lenços de seda. Vi que ainda tenho que comer muito angu pra poder, sequer, pensar em pisar a mesma calçada em que transita, digamos, um Kurt Vonnegut ou um Ephraim Kishon. Mas…

Eis que um leitor percebe que o texto vencedor é na verdade, há… excessivamente inspirado em outro texto, de um autor morto em 1991. É claro que a revista agiu de boa-fé, mas quando perceberam a incômoda semelhança, o texto já estava impresso e perdurado eternidade afora na língua portuguesa. Agora conheço a fórmula para ter um texto premiado: basta que eu pegue um ensaio do Umberto Eco, troque todas as ocorrências da palavra Ecmnésia por Rapadura, assine e estamos conversados.

HEMETERIO_FORTALEZA, CE

 

Não há idéia inteligente que já não tenha sido pensada. O que temos de tentar é pensá-la de novo. A meu ver, foi o que fez o vencedor Parreira, cuja narrativa, desenvolvida com sofisticado senso de humor, termina com inesperada e encantadora ironia. Não sou professor de literatura, aliás não sou professor de coisa alguma, muito menos crítico literário, pergunto: afinal, o que sobra da comparação feita entre o conto do sr. Parreira e o de Murilo Rubião?

A meu ver, além da vantagem de o conto de Rubião conter mais caracteres (e espaços), sobra o esqueleto da história de uma mulher que pede presentes a seu homem. E daí? No mais, é cada autor por si e os leitores por todos.

W. SURTAN_NITERÓI, RJ

 

COVARDE, IGNORANTE, ABUSIVO

Gostaria de protestar contra a matéria Vidas Literárias: Carl Gustav Jung, por Edward Sorel. Ela é preconceituosa, covarde, ignorante e abusiva

NICOLAU GINEFRA_RIO DE JANEIRO, RJ

NOTA DA REDAÇÃO: reiteramos intimação para que nosso esculhambador-geral reassuma suas funções o quanto antes

Leia também

Últimas Mais Lidas

Vacina a jato

Contra a Covid-19, empresas e OMS analisam liberar produto com 60% de eficácia, mas pesquisadores debatem riscos éticos e sanitários

A Bíblia e a bala

Nas polícias, setores evangélicos pentecostais dão sustentação às posições mais radicais do bolsonarismo

No meio do fogo, entre o atraso e o retardante

Diante do avanço das queimadas no Pantanal, governo de Mato Grosso apela a produto químico de efeitos ainda desconhecidos no meio ambiente após longo tempo de uso

Dois trilhões de suspeitas

Documentos secretos do governo americano mostram como cinco bancos multinacionais ignoraram alertas e movimentaram dois trilhões de dólares de clientes investigados por crimes de todo tipo durante anos

Um calote de R$ 158 milhões

Grupo Schahin usou empresa de fachada para ocultar fortuna em processo de falência; documentos dos FinCEN Files organizados pelo ICIJ embasaram a reportagem

Mais textos
1

R$ 0,46 no tanque dos outros

Agora, caminhoneiros grevistas usam WhatsApp para defender queda da gasolina, de Temer e da democracia

2

A vida e a morte de uma voz inconformada

Os últimos momentos de Marielle Franco, a vereadora do PSOL executada no meio da rua no Rio de Janeiro sob intervenção

4

Ray Kurzweil e o mundo que nos espera

Uma entrevista com o inventor e futurólogo americano

5

Qu4tro figuras (e mais 2)

Agora só tem o Homem de Ferro em Blu-ray, a privada virou "poltrono", a moça penteia o bigode e Stálin está no armário

6

Juízes vão ganhar auxílio-greve

“Você já viu o preço de um megafone hoje em dia? Sabe quanto custa mandar fazer faixas, camiseta, alugar carro de som?” Com essas palavras o ministro Luiz Fux justificou a aprovação do auxílio-greve para juízes federais que farão parte da mobilização que tenta barrar o fim do auxílio-moradia aos magistrados

7

Pero sin perder la broma

A revista que inferniza a monarquia espanhola se adapta aos tempos de crise

10

Chiclete com Banana adere à gourmetização e muda nome para Shitake com Macadâmia

AMARALINA - Em reformulação desde a saída do vocalista Bell Marques, o grupo Chiclete com Banana resolveu dar uma guinada radical para se adequar aos novos tempos. "Se você é diferenciado / Vem dançar ao som do berimbau goumertizado / Se Caetano estacionou o carro no Leblon / Eu brindo a vida com Paleta e Chandon", cantarolou o novo vocalista da banda, João Doria Junior.