poesia

Quatro poemas de viagem

Julia de Souza

POEMA PARA ESGOTAR A CASA

impossível fossilizar a casa

manter os dentes sadios

contá-los um a um em sua boca



impossível conter o sorriso

mesmo sabendo que a casa

é uma outra

 

vontade que a casa anule

o mundo que a casa seja

o próprio mundo

 

que a casa seja um aquário

seja um museu

(do not disturb)

 

se conseguir atinar

a vastidão de seu presente

serei um recém-chegado crônico

 

já é impossível pensar

o mundo sem a mediação

da casa

 

(teria sido preciso esgotar o tema da casa)

 

não quero querer mas

quero de volta a impossível

casa autêntica

 

(a casa me dá saudade do lar)

 

é preciso interditar a casa

deixar que o mato a engula

cresça sem rodeios

dentro dos carros

forre a mesa de jantar esconda

a insistência dos remendos

 

a nossa casa castelo de cartas

ainda guarda restos de

qualquer coisa que foi embora cedo.

 

INVERNO

aos sábados assam

um porco em cada esquina

e lá fora todos pensam que nosotros

somos pobres

eu estava em qualquer outro lugar

menos onde pensei que estaria

you speak a very good english

disse o sri-lanko canadense manco

eu a única hóspede mulher

no hotel beira de estrada

fora as putas

dos canadenses com quem

às vezes elas se casam

e nem era temporada

anotei muitas vezes

lembrar-se de exceções e falsos

cognatos

a caminho da praia.

 

ESTRANGEIRO

jurou conhecer

cada lugar de

cada página da

national geographic

nem é tão frio no polo sul

no meu tempo se podia

viver acho que vim

de navio trinta dias ou

mais até o porto de

santos preciso parar e

lembrar tudo o que fiz.

por fim apontou o mar

e disse no meu tempo

tudo isso aí

era mato.

 

FOTOGRAFIA

os turistas não entenderam

por que aos onze anos

não quis entrar na tumba

no meio do deserto

fiquei no ônibus muito cética

aos cuidados do motorista

que riu do meu descaso

e me trouxe uma coca-cola

depois de tanta ruína

amarelo sobre amarelo

é difícil enxergar o extraordinário.

àquela altura eu não sabia

por milímetros não acertamos

nem um beijo na esfinge.

Julia de Souza

Julia de Souza, poeta paulistana, é autora de Covil, lançado pela 7Letras

Leia também

Últimas Mais Lidas

Polícia na porta, celular na privada

A prisão do juiz investigado sob suspeita de vender sentença por 6,9  milhões de reais – e que jogou dois telefones no vaso sanitário quando a PF chegou para buscá-lo

Na terra dos sem SUS

Nos Estados Unidos, mães de jovens negros mortos pela polícia enfrentam a epidemia, o desemprego e o racismo

Um idiota perigoso incomoda muita gente

Memórias e reflexões sobre o tempo em que voltamos a empilhar cadáveres por causa de um vírus

Mourão defende manter Pujol no comando do Exército

Vice afirma que general deve permanecer à frente da tropa até o fim do mandato de Bolsonaro, mas admite que não apita nas nomeações do presidente

Na piauí_166

A capa e os destaques da revista de julho

Foro de Teresina #107: As guerras surdas de Bolsonaro

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

O desmanche de Witzel

Um depoimento exclusivo denuncia os elos ocultos entre o governo de Witzel e as milícias

Para cuidar de quem cuida

Referência em Covid-19, hospital da USP cria programa de apoio a profissionais de saúde e descobre que 77% dos atendidos sofrem de ansiedade

Mais textos
1

A morte e a morte

Jair Bolsonaro entre o gozo e o tédio

2

Na piauí_166

A capa e os destaques da revista de julho

3

PCC veste branco

Traficante da facção usou 38 clínicas médicas e odontológicas para lavar dinheiro, comprar insumos para o tráfico e socorrer “irmãos” baleados

4

O desmanche de Witzel

Um depoimento exclusivo denuncia os elos ocultos entre o governo de Witzel e as milícias

5

A solidão de rambo

Suspeitas de corrupção e conluio com as milícias desmontam Wilson Witzel

6

Chumbo grosso no Ministério Público 

Bloqueio de bens na Suíça, delação premiada contra Moro e interferência na PF acirram guerra entre a Lava Jato e a Procuradoria-Geral da República

7

Tudo acaba em barro

Um coveiro em Manaus conta seu cotidiano durante a pandemia

8

Contra a besta-fera

A luta dos cientistas brasileiros para combater o vírus é dura – vai de propaganda enganosa a ameaça de morte

9

A droga da desinformação

Publicações falsas ou enganosas sobre remédios sem efeito comprovado contra Covid-19 são um terço das verificações do Comprova no último mês

10

Foro de Teresina #107: As guerras surdas de Bolsonaro

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana