esquina

Só uma vaga

Em busca de um estágio com Moro

Débora Sögur Hous
ILUSTRAÇÃO: ANDRÉS SANDOVAL_2016

Outubro mal iniciava quando Erika Souza Felix da Silva leu no Facebook um anúncio que a instigou. O “Excelentíssimo Senhor Doutor Sérgio Fernando Moro” tornava públicos o prazo de inscrição e as regras de um concurso muito cobiçado: o de estagiário para a 13ª Vara Criminal Federal de Curitiba, justamente aquela onde o célebre juiz da Operação Lava Jato é titular. Moradora de Quixeramobim, no sertão do Ceará, Silva tem 20 anos e cursa o sétimo período de direito na Universidade Regional do Cariri. Não se considera propriamente fã de Sérgio Moro nem sabe ainda em que área pretende se especializar, mas valoriza “o combate aos crimes de corrupção”. Daí o interesse que o anúncio lhe despertou: se aprovada na seleção, anteviu, iria passar doze meses junto do magistrado paranaense, o inimigo número 1 dos ladrões de colarinho branco. Não bastasse, as quatro horas diárias de trabalho lhe renderiam um salário de 833 reais com vale-transporte. Nada mal para quem faz um estágio voluntário na Defensoria Pública de Iguatu.

Embora também não morram de amores pelo juiz, os pais da jovem – um dono de autoescola e uma estudante de moda – concordaram que se tratava de uma oportunidade imperdível e prometeram: caso a filha única lograsse êxito na disputa, complementariam a minguada renda mensal que a Justiça lhe reservava. Na noite de 19 de outubro, uma quarta-feira, Silva deixou Quixeramobim de ônibus e, depois de três horas, desembarcou no aeroporto de Fortaleza. Um voo de mais oito horas a levou até Curitiba.

MATÉRIA FECHADA PARA ASSINANTES
Para acessar, assine a piauí

Débora Sögur Hous

Leia também

Últimas Mais Lidas

“Quero ver Bolsonaro se eleger só com voto de general”

Eleitorado tradicional do presidente, militares de baixa patente e pensionistas rejeitam projeto de Previdência e mostram decepção com o ex-capitão 

The world without the Amazon

A climate model predicts the effects of turning the forest into cattle pastures: 25% less rain in Brazil and higher temperatures, with “catastrophic” consequences for agriculture and energy production

Six conclusions about a model of the world without the Amazon

The price that Brazil and the world will pay if the forest continues to be cut down so that livestock can graze

Vazamento de óleo avança, plano de controle patina

Manchas se aproximam dos corais de Abrolhos; especialistas cobram do governo federal transparência em uso de programa para conter derrames de óleo

Ascensão e queda de um ex-Van Gogh

Tela do Masp atribuída ao pintor holandês tem autoria revista e inspira debate sobre valor artístico

Um bicheiro no centro do poder

A rede de assassinatos, amizades e dinheiro que cerca Jamil Name no Mato Grosso do Sul

Seis conclusões sobre o modelo do mundo sem a Amazônia 

O preço que o Brasil e o mundo pagarão caso a floresta continue a ser derrubada para dar lugar à pecuária

O mundo sem a Amazônia

Modelo climático prevê efeitos da conversão da floresta em pasto: diminuição de 25% das chuvas no Brasil e aumento da temperatura, com prejuízo "catastrófico" para agricultura e produção de energia

Foro de Teresina #73: Autofagia no governo, crise na oposição e o óleo nas praias do Nordeste

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Mais textos