=igualdades

Mortes causadas pela Covid mais que dobraram no Brasil este ano; em Minas, quadruplicaram

Amanda Gorziza, Luigi Mazza e Renata Buono
09jul2021_17h37

O estado onde o número de mortes causadas pela Covid mais cresceu este ano foi Minas Gerais. As mortes saltaram de 12 mil, no dia 1º de janeiro, para 46,2 mil, em 30 de junho. No Paraná, o total de mortos também quadruplicou, passando de 7,9 mil para 30,7 mil no período. No caminho oposto, o estado onde as mortes menos cresceram este ano foi Pernambuco, que em janeiro tinha registrado 9,6 mil mortes e chegou a 17,6 mil em junho.

Até 8 de julho, foram registrados 530,3 mil óbitos pela Covid-19 no Brasil. Mesmo com uma taxa de mortes diárias ainda alta, a média móvel de óbitos nos últimos sete dias chegou a 1.451 – o menor índice desde o dia 5 de março. Apenas dois estados apresentam alta na tendência de mortes – Acre e Paraná. Os dados são do consórcio de veículos de imprensa a partir das secretarias estaduais de saúde. 

Fonte: Brasil.IO

Amanda Gorziza (siga @amandalcgorziza no Twitter)

Estagiária de jornalismo na piauí

Luigi Mazza (siga @LuigiMazzza no Twitter)

Repórter da piauí

Renata Buono (siga @revistapiaui no Twitter)

Renata Buono é designer e diretora do estúdio BuonoDisegno

Leia também

Últimas

O mantra do negacionismo namastê

Praticantes de um estilo de vida supostamente saudável recorrem à desinformação e recusam a vacina

A única semelhança

Cientista de dados negro, preso por engano no Rio depois de reconhecimento por foto, narra os dias no cárcere e a dificuldade para ser solto

Nos erros de reconhecimento facial, um “caso isolado” atrás do outro

Presos por engano, cientista de dados, mototaxista e motorista têm algo mais em comum: são negros

Foro de Teresina #169: O vírus mal-disfarçado do bolsonarismo

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Na crise climática, Congresso tira o corpo fora

Metade dos parlamentares se diz muito preocupada com o meio ambiente no Brasil, mas só 7% acham que seus colegas têm o mesmo interesse; maioria atribui a crise ao governo

Mais textos