questões manuscritas

O marco zero da Bossa Nova

Chega de Saudade é considerada a canção que inaugura a Bossa Nova. Foi escrita por Vinícius de Moraes e composta por Antonio Carlos Jobim no final de 1956.

A primeira gravação data de 10 de julho 1958, na voz de Elizeth Cardoso, com brilhante arranjo de orquestra do próprio Tom Jobim. Os estudiosos consideram esta gravação o primeiro registro fonográfico da Bossa Nova.

Pedro Corrêa do Lago
16abr2013_16h49

Chega de Saudade é considerada a canção que inaugura a Bossa Nova. Foi escrita por Vinícius de Moraes e composta por Antonio Carlos Jobim no final de 1956.

A primeira gravação data de 10 de julho 1958, na voz de Elizeth Cardoso, com brilhante arranjo de orquestra do próprio Tom Jobim. Os estudiosos consideram esta gravação o primeiro registro fonográfico da Bossa Nova.

A versão de João Gilberto, gravada no mês seguinte com novo arranjo rítmico de autoria do cantor baiano, lançou sua carreira e confirmou sua posição de expoente do novo gênero musical criado no Brasil.

Reproduzidas aqui estão a primeira e a última página da partitura original de Jobim de Chega de Saudade. As 20 folhas foram presenteadas a Elizeth, e a capa leva sua assinatura a caneta: “Propriedade de Elizeth Cardoso”. Trata-se da partitura inteira para orquestra, escrita a lápis em 14 linhas de música, e uma página separada para a harpa, também reproduzida aqui.

Clique nas imagens para ampliá-las

Muitas partituras manuscritas de música popular são copiadas por arranjadores anônimos. As melodias são geralmente transcritas por outra pessoa, e o que sobrevive na sua letra são às vezes as palavras do texto. Esta, no entanto é a partitura completa na letra de Tom Jobim, e o manuscrito registra seus arranjos de violão (mas não a batida de João Gilberto, contribuição posterior a partir da criação original do compositor).

Os arranjos vocal e orquestral estão completos, tais como foram ouvidos pela primeira vez na gravação original cantada por Elizeth. A partitura vocal foi impressa quatro anos mais tarde em 1962, mas sem a plena instrumentação encontrada aqui.

O manuscrito pertenceu a Elizeth Cardoso, que o conservou até sua morte em 1990. Presume-se que tenham sido seus descendentes que o puseram à venda num importante leilão de manuscritos musicais em Londres em 2008, quando foi adquirido por seu atual detentor e trazido de volta ao Brasil.

Pedro Corrêa do Lago

Pedro Corrêa do Lago é mestre em economia pela PUC - Rio. Foi autor do blog questões manuscritas no site da piauí

Leia também

Últimas Mais Lidas

Sem máscara, no meio da fumaça

Entre o combate às queimadas e o resgate frustrado de um bicho-preguiça, a rotina de trabalho de um bombeiro na Amazônia em chamas

Foro de Teresina #69: O racha no bolsonarismo, as derrotas do Posto Ipiranga e a farra do fundo eleitoral

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

O patriotismo como negócio

Vendas da Semana do Brasil, criada para incentivar consumo apelando ao Sete de Setembro, ficam 40% abaixo do esperado pelo governo

Maria Vai Com as Outras #3: Quero ser mãe, não quero ser mãe

Uma editora e uma advogada e escritora falam sobre os desdobramentos na vida de uma mulher quando ela decide ter ou não ter filhos

Vítimas de Mariana cobram R$ 25 bi de mineradora BHP na Inglaterra

Juiz deve decidir em junho se vai julgar o processo, o maior em número de vítimas da história do Reino Unido

Passarinho vira radar de poluição

Pesquisadores usam sangue de pardais para medir estrago de fumaça de carros e caminhões em seres vivos

Foro de Teresina #68: Censura na Bienal, segredos da Lava Jato e um retrato da violência brasileira

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Presos da Lava Jato unidos contra os ratos e o tédio

Condenados por crimes de colarinho-branco já caçaram roedores e fizeram faxina em complexo penal; transferidos para hospital penitenciário e sem ter o que fazer, gastam o tempo com dominó  

Mais textos
1

Que falta faz uma boa direita

Bolsonaro e o liberalismo no Brasil

3

O patriotismo como negócio

Vendas da Semana do Brasil, criada para incentivar consumo apelando ao Sete de Setembro, ficam 40% abaixo do esperado pelo governo

4

A casa da memória

Mentir para tratar a demência

6

Sem máscara, no meio da fumaça

Entre o combate às queimadas e o resgate frustrado de um bicho-preguiça, a rotina de trabalho de um bombeiro na Amazônia em chamas

7

Vítimas de Mariana cobram R$ 25 bi de mineradora BHP na Inglaterra

Juiz deve decidir em junho se vai julgar o processo, o maior em número de vítimas da história do Reino Unido

8

Foro de Teresina #69: O racha no bolsonarismo, as derrotas do Posto Ipiranga e a farra do fundo eleitoral

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

9

A metástase

O assassinato de Marielle Franco e o avanço das milícias no Rio