edição do mês

O patriota enrolado

Na piauí de setembro, um perfil mostra a trajetória – e os rolos – do Véio da Havan

04set2020_10h01
Luciano Hang, o ex-discreto: ele começou a aparecer em público para desmentir boatos de que a Havan pertencia “ao filho do Lula”, ou “à filha da Dilma”, ou “ao bispo Macedo”
Luciano Hang, o ex-discreto: ele começou a aparecer em público para desmentir boatos de que a Havan pertencia “ao filho do Lula”, ou “à filha da Dilma”, ou “ao bispo Macedo” CREDITO: EDUARDO MARQUES_2020_ABRIL COMUNICAÇÕES S.A.

A reportagem sobre o empresário Luciano Hang, dono da Havan, conta sua trajetória, desde as origens em Brusque, no interior de Santa Catarina, até a transformação em militante bolsonarista. Também historia suas condenações judiciais. Em janeiro de 1999, procuradores descobriram na Havan “uma formidável máquina de sonegar tributos”. Em decorrência do processo por sonegação, Hang foi autuado em 117 milhões de reais e parcelou a dívida em mais de cem anos.

Em setembro de 2000, outra investigação descobriu que Hang sonegou contribuições para a Previdência Social, num total que passava de 10,5 milhões de reais. Apesar do acordo para parcelamento do montante sonegado, o empresário acabou condenado a três anos e onze meses de prisão – pena convertida em prestação de serviço comunitário – e pagamento de multa de cerca de 500 mil reais.

Em 2007, voltou a ser condenado por sonegação, desta vez com pena de dois anos e seis meses em regime aberto. Em 2008, sofreu uma terceira condenação, a mais pesada de todas: treze anos e nove meses de prisão por lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Com recursos protelatórios, conseguiu empurrar o caso até a prescrição.

A reportagem está aqui.



 

Leia também

Últimas Mais Lidas

Cercados pelas chamas

Uma família encurralada em casa por um incêndio no Cerrado

Roupa suja lavada a jato

Como lavajatistas e bolsonaristas se aproximaram, se afastaram, romperam ao longo do governo - e publicaram tudo nas redes

Foro de Teresina #118: O presidente no meio do fogo

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

A mão que acende o fogo

Aquecimento global e desmatamento aumentam o material combustível para os incêndios, mas, sem ação de pessoas, o Pantanal e a Amazônia não queimariam assim

“O fogo acabou com tudo”

Líder indígena em Mato Grosso relata como as queimadas avançam sobre sua aldeia, destruindo casas, árvores, animais e memórias

Mais textos
2

R$ 0,46 no tanque dos outros

Agora, caminhoneiros grevistas usam WhatsApp para defender queda da gasolina, de Temer e da democracia

3

A vida e a morte de uma voz inconformada

Os últimos momentos de Marielle Franco, a vereadora do PSOL executada no meio da rua no Rio de Janeiro sob intervenção

5

Qu4tro figuras (e mais 2)

Agora só tem o Homem de Ferro em Blu-ray, a privada virou "poltrono", a moça penteia o bigode e Stálin está no armário

6

O barato de Hannah

Pela legalização da maconha, jovem americana se muda para Montevidéu

7

Sem SUS, sem saída, sem vida

Sem dinheiro para pagar dívidas médicas nos Estados Unidos, idoso mata mulher e se suicida; tragédia amplia debate sobre acesso a sistema público de saúde

8

O tom certo

Quatro meses depois de nos conhecermos, o Orlando sumiu. Em casa contei que a professora tinha falado que o Orlando não era culpado. O garoto é uma vítima, ela repetia nervosa, como todos nós

10

Vitória em Cristo

Com uma leitura singular da Bíblia, o pastor Silas Malafaia ataca feministas, homossexuais e esquerdistas enquanto prega que é dando muito que se recebe ainda mais