questões eleitorais

Oito coisas que você não precisa, mas vai gostar de saber sobre a eleição

Três empates e quatro decisões por um voto de diferença: curiosidades da votação pelo país

Lianne Ceará e Marcos Amorozo
18nov2020_09h55
Ilustração de Fernando Carvall

Caneta individual e máscara foram duas das novidades na votação realizada em ano de pandemia. Mas mesmo num ano atípico, as peculiaridades que rondam qualquer eleição não deixaram de existir. De pai e filho governando cidades vizinhas a prefeito quase centenário, a piauí listou oito curiosidades desta eleição que você vai gostar de saber. 

  1. O prefeito mais velho

José Braz (PP), de 95 anos, foi eleito prefeito de Muriaé (MG), com 42,80% dos votos da cidade. A diferença de idade que separa ele e seu vice, Dr. Marcos Guarino, 63, é de 32 anos. Braz já foi prefeito do município por dois mandatos, durante o período de 2005 a 2012, e deve entregar o posto em 2025, já quase centenário, com 99 anos.

  1. Família que governa unida

No Ceará, as cidades de Eusébio e Aquiraz, localizadas na Região Metropolitana de Fortaleza e com cerca de 10 km de distância entre si, serão governadas por pai e filho. Dr. Acilon Gonçalves (PL) foi eleito prefeito de Eusébio e seu filho, Dr. Bruno Gonçalves (PL), comandará Aquiraz. 

  1. Família que vai às urnas dividida

Em Recife, João Campos (PSB) e Marília Arraes (PT) vão disputar a chefia do poder executivo no 2º turno, que acontece no próximo dia 29 de outubro. O que muita gente não sabe é que os dois opositores, na verdade, são primos de segundo grau. Eduardo Campos, pai de João, e Marília Arraes são netos do ex-governador de Pernambuco, Miguel Arraes, morto em 2005. 



  1. Idade é documento

O que acontece quando dois candidatos empatam? O mais velho vence. Essa situação aconteceu em três cidades brasileiras: Caraúbas (PB), Kaloré (PR) e Jardinópolis (SC). Em Caraúbas, o prefeito Silvano Dudu (DEM) conseguiu a reeleição por ser dezoito anos mais velho que o segundo colocado. 

  1. Um voto que faz diferença

Se dizem que um voto não faz diferença, em quatro cidades brasileiras esse ditado não vingou. A decisão sobre quem ocuparia o cargo de chefe do Executivo nas cidades de Piquerobi (SP), Quinta do Sol (PR), Santa Terezinha (SC) e Itapuca (RS) se deu por um único eleitor.

  1. E a Wal Bolsonaro, hem?

A “Wal do Açaí”, funcionária fantasma do gabinete de Bolsonaro na Câmara dos Deputados,  disputou sua primeira eleição como candidata a vereadora em Angra dos Reis (RJ), apoiada pela família do presidente, seu nome na urna era Wal Bolsonaro (Republicanos). Com 266 votos, não conseguiu uma cadeira no Legislativo municipal.

  1. Única mulher indígena eleita prefeita

O único município brasileiro a eleger uma mulher indígena como prefeita foi Marcação, na Paraíba. A candidata Lili (DEM) é da etnia Potiguara e sua chapa foi reeleita com 54,48% dos votos da cidade, 2.965 no total.

  1. Os mais presentes

Numa eleição marcada pela ausência dos eleitores, o município de Marema, no interior de Santa Catarina, teve a menor taxa de abstenção entre todas as cidades do país: 2,94%, o equivalente a 59 pessoas. O índice é menor do que o registrado em 2016, quando 69 eleitores (3,13%) deixaram de ir às urnas.

Lianne Ceará (siga @lianneceara no Twitter)

Estagiária de jornalismo na piauí

Marcos Amorozo

Estagiário de jornalismo na piauí

Leia também

Últimas Mais Lidas

Marcadores do destino

Marcadores presentes no sangue podem aumentar ou diminuir os riscos do paciente infectado pela Covid-19 em desenvolver casos graves da doença

De puxadinho da Universal a queridinho da direita

No espaço deixado pelo PSL, Republicanos dobra número de prefeitos e se torna partido com mais vereadores eleitos em capitais

Foro de Teresina #128: As urnas, o racismo e o vírus

O podcast de política da piauí discute os principais fatos da semana

Teatro político

Ricardo Nunes, vice da chapa de Bruno Covas, faz encontro em teatro que recebeu repasse de 150 mil reais autorizado pela prefeitura de São Paulo

Confiança no SUS tem crescimento recorde na pandemia

Pesquisa inédita do Ibope mostra que, em 2020, a população passou a confiar mais em quase todas as instituições – menos no presidente e seu governo

Virada eleitoral: missão (im)possível?

Só uma em cada quatro disputas de segundo turno teve reviravolta em relação ao primeiro nas últimas seis eleições municipais

Mais textos
3

Na cola de quem cola

A apoteose da tecnologia e o adeus aos estudos

6

A Arquiduquesa da canção e do escracho

Algum jovem, bem jovem mesmo, que por ventura me leia neste momento, não há de saber quem foi “Araca, a Arquiduquesa do Encantado”, estou certa? Assim era chamada a cantora favorita de Noel Rosa e tantos outros, a super Aracy de Almeida. Mulher absolutamente singular em sua figura e trajetória.

7

Janelas para o passado

Vêm da Inglaterra iniciativas interessantes lançadas na internet esta semana que ajudam a entender melhor duas civilizações antigas. Um projeto disponibiliza na rede fragmentos de papiros egípcios da época da ocupação grega, incluindo textos de Platão, Heródoto e Epicuro, e convida os internautas para ajudar a decifrá-los. Foi inaugurada também uma biblioteca digital de manuscritos de Avicena e outros nomes da medicina árabe do período medieval.

8

Miriam

Miriam, a mulher com um problema na garganta

9

PMDB decide apoiar Obama e Raúl Castro

"Abaixo o capitalismo e o socialismo! Viva o fisiologismo!", discursou Temer