anais da bossa

Por que João Gilberto é João Gilberto

Diretor artístico da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo comenta, ao violão, legado do inventor da bossa nova; veja os vídeos

Arthur Nestrovski
06ago2019_19h37
EGBERTO NOGUEIRA

Acanção brasileira é uma antes e outra depois de João Gilberto. Sua influência afeta o passado tanto quanto o futuro: foi só depois de João que se consolidou a ideia de uma história, um cânone da canção, de importância central para a cultura do Brasil. Foi ele também um dos principais responsáveis por situar a música brasileira em nova condição, antes de mais nada para nós mesmos, mas também aos olhos do mundo. Isso tem a ver com muitas coisas: a seleção do repertório, o modo de cantar, a forma de tocar, a exploração das relações entre palavra e música. Tudo isso é comentado, com exemplos, nesta série de quatro pequenos vídeos.

Antes e depois

O futuro do passado agora é outro: definindo um cânone da canção.

 

Palavra e Música



Quando a voz falada se transforma em música: segredos do canto.

 

O violão

Segredos do violão: acordes, pulsações, acentos.

 

Uma ideia de Brasil

A arte e o legado de João Gilberto: um ideal de civilização.

* As citações musicais respeitam a Lei do Direito Autoral, que garante o uso de trechos para fins de estudo ou crítica da obra reproduzida. 

Arthur Nestrovski

Compositor, violonista e crítico literário e musical, é diretor artístico da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo.

Leia também

Últimas Mais Lidas

O resgate da sucuri amarela

Expedição avança no Pantanal Norte e se depara com centenas de animais mortos pelo fogo

Google vai pagar por conteúdos jornalísticos

No Brasil, mais de vinte veículos, entre eles a piauí, participam do "Destaques", projeto de licenciamento de conteúdo

Um remédio que evita a internação

Eli Lilly anuncia que, em testes clínicos, um anticorpo monoclonal criado pelo laboratório reduziu em 72% internações por Covid-19; chineses também avançam nessa terapia

Aldeias na mira do tráfico

Assassinatos de dois adolescentes indígenas, mortos com sinais de tortura no Acre, alertam para  o avanço de facções criminosas em territórios protegidos 

Sonhos de Patrício Guzmán e Jorgen Leth

Quanto tempo levaremos para nos recuperar após tudo isso?

Invasão de privacidade chancelada por lei

Professor da USP defende alteração na Lei de Proteção de Dados para que Estado brasileiro não seja autorizado a compartilhar em massa informações dos cidadãos

Brasil de costas para a ciência

Pesquisa inédita realizada em vinte países mostra que brasileiros são os que menos acreditam em seus cientistas

Mais textos
4

Um café na lanchonete

A história de Saeed, dos pais de Saeed – e o segredo de Nadia

5

Proust ─ Do pêndulo ao calendário

O acesso à riqueza de Tempo Perdido não requer preâmbulos. Demanda algo que está fora da obra e é cada vez mais complicado de conseguir: tempo e concentração

6

Desenhando esquinas

Andrés Sandoval explica o processo por trás das ilustrações que adornam a piauí desde a primeira edição.

9

Melhor que a véspera

Francenildo mais perto do desfecho